Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5544
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorLIMA, R. C. D.
dc.date.accessioned2016-08-30T10:50:20Z-
dc.date.available2016-07-11
dc.date.available2016-08-30T10:50:20Z-
dc.identifier.citationSULTI, A. C., As Relações Produzidas no Cotidiano da Gestão na Estratégia Saúde da Família Num dos Municípois da Região Metropolitana da Grande Vitória: Os Discursos dos Gestores.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/5544-
dc.format.mediumtexten
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAs Relações Produzidas no Cotidiano da Gestão na Estratégia Saúde da Família Num dos Municípois da Região Metropolitana da Grande Vitória: Os Discursos dos Gestores.por
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractEste trabalho aborda aspectos referente à produção do processo de trabalho no cotidiano da gestão da Estratégia Saúde da Família (ESF) em um município do Espírito Santo, a partir dos discursos dos próprios gestores envolvidos no processo. Valoriza a discussão sobre a produção das relações institucionais neste contexto, assim como questões que dizem respeito ao processo de trabalho no dia a dia deste serviço. O percurso metodológico foi orientado pela abordagem qualitativa, sendo utilizado como instrumento metodológico para a coleta de dados a observação direta de uma equipe de ESF, a construção de um diário de campo e entrevistas individuais semiestruturadas aos gestores (secretário municipal de saúde, coordenador da atenção básica, integrante do núcleo da ESF e coordenador de unidade de saúde da família) da ESF desse município. A partir do trabalho de campo e da análise do material produzido, pode-se apreender um cotidiano marcado pelas subjetividades próprias de cada profissional, um cotidiano construído a partir das relações produzidas em cada espaço de atuação dos gestores com os profissionais de saúde e com os usuários. De maneira geral, os discursos dos gestores evidenciam um dia a dia complexo de operar. Além disso, observa-se as que as atividades voltadas para as tomadas de decisão são centradas no papel do gestor formal da instituição de saúde. O organograma da secretaria de saúde do município reforça a hierarquização das relações, principalmente as que se referem às tomadas de decisão, de forma que, pode-se observar que é um dia a dia marcado por tensões, conflitos e controle. As relações produzidas são baseadas em relações de poder, perpetuando características de uma gestão clássica, apesar da concepção e da tentativa de realizar uma gestão pautada na cogestão.por
dcterms.creatorSULTI, A. C.
dcterms.issued2014-03-24
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Saúde Coletivapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Saúde Coletivapor
dc.contributor.refereeANDRADE, M. A. C.
dc.contributor.refereeSODRE, F.
Aparece nas coleções:PPGASC - Dissertações de mestrado



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.