Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5901
Título: Estudo de soroprevalência de toxoplasmose em gestantes atendidas na rede municipal de saúde de Vitória, ES
Autor(es): Areal, Kelly Rose
Orientador: Miranda, Angelica Espinosa Barbosa
Palavras-chave: Gravidez
Diagnóstico laboratorial
Pregnancy
Toxoplasmosis
Laboratory diagnosis
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A toxoplasmose é de alta prevalência no Brasil. A infecção durante a gravidez pode resultar em doença fetal com graves seqüelas para a criança. Objetivo: Determinar a soroprevalência de toxoplasmose em gestantes atendidas nas Unidades de Saúde do Município de Vitória e avaliar fatores correlatos com a infecção. Métodos: Estudo de corte transversal, realizado de janeiro a dezembro de 2006, em 1153 gestantes atendidas nas Unidades de Saúde das seis regiões de saúde. Entrevista face-a-face contendo dados sócio-demográficos, epidemiológicos e clínicos foi realizada e sorologias para pesquisa de IgG, IgM e avidez de IgG pelo método de quimiluminescência (Diasorin) e eletroquimioluminescência (Biolab-Merrieux). Resultados: A prevalência da infecção foi de 73,5% (IC 95% 70,95%-6,05%) para IgG e 1,3% (IC 95% 0,65%-1,95%) para IgM. Quando se considerou a avidez de IgG, a prevalência de infecção aguda foi de 1,1% (IC 95% 0,5%-1,7%). Um total de 26,5% (IC 95% 23,9%-29,0%) gestante era susceptível à toxoplasmose e 72,2% (IC 95% 69,6%-74,8%) imunes. A presença de anticorpos IgG esteve independentemente associada à aquisição de carne em feiras livres [1,78 (IC95% 1,02-3,13). Já a presença de anticorpos IgM durante a gravidez apresentou associação com uma menor escolaridade (até quatro anos de estudo) [5,30 (IC95% 1,67-16,83)]. Conclusão: Estes resultados corroboram a importância da adesão precoce ao pré-natal com a inclusão do ensaio de avidez de IgG no diagnóstico da toxoplasmose. É necessário haver um maior rigor nas exigências sanitárias, no que diz respeito ao comércio de carnes sem registro.
Toxoplasmosis is prevalent in Brazil. The infection during pregnancy can affect the fetus and cause sequelae in the child. Objectives: To determine seroprevalence of toxoplasmosis in pregnant women attending primary health cares in Vitória Municipality and evaluate correlate factors for the infection. Methods: A cross-sectional study, performed from January to December 2006, in 1153 pregnant women attending antenatal care in public clinics from the six health areas. A face-to-face interview with sócio-demographic, behaviors and clinics was performed; and serology for IgG, IgM and avidity of IgG by quimiluminescence (Diasorin) and eletroquimioluminescence (Biolab-Merrieux). Results: Prevalence of toxoplasmosis was 73.5% (CI 95% 70.95%-76.05%) and 1.3% (CI 95% 0.65%-1.95%) of acute infection. Considering avidity of IgG, prevalence of acute infection was 1.1% (CI 95% 0.5%-1.7%). A total of 26.5% (CI 95% 23.9%-29.0%) pregnant women were susceptive to toxoplasmosis and 72.2% (CI 95% 69.6%-74.8%) immunes. IgG antibodies were independent associated to buying meat in free markets [1.78 (CI 95% 1.02-3.13), and IgM antibodies during pregnancy were associated to lower education (up to four years) [5.30 (CI95% 1.67-16.83)]. Conclusions: These results corroborate the importance of earlier antenatal care and the inclusion of avidity test in toxoplasmosis diagnosis. It is requested a better sanitary control concerning the commerce of meat without registration.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5901
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Tese_kelly_pdf.pdf1.84 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.