Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5975
Título: Sistemas nacionais de inovação: formulações de políticas no âmbito da OCDE e do Brasil
Autor(es): Zingler, Karine Daiane
Orientador: Villaschi Filho, Arlindo
Palavras-chave: OCDE
Technological Innovation
Brazil
Learning Capabilities
Learning
Organization for Economic Co-operation and Development
Data do documento: 18-Mai-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: This thesis aims to analyse how Brazil has placed on its agenda the politics of science, technology and innovation in a systemic and interactive approach. Here it is used the theoretical approach of national innovation systems, in Aalborg tradition, which emphasizes: systemic policies conducted by the Nation-State, learning processes arising from interactions between agents, and is guided in idiosyncratic capacity learning to the different nations. This approach has found space to develop theoretically and empirically in the Organization for Economic Co-operation and Development (OECD), from 1980/90 decades, which is currently research reference on the subject. In this thesis, it is demonstrated how Brazil, over its process of economic development based on industrialization, from 1930 to 2000, has excluded policies that emphasize the interaction among agents in a national system of science, technology, innovation and learning, what is beyond the guidelines provided by the OECD. It is also evaluated the current plans, which attempt to engage with the guidelines of this international organization
Esta dissertação tem o objetivo de analisar como o Brasil tem colocado em sua agenda as políticas de ciência, tecnologia e inovação em uma abordagem sistêmica e interativa. Utiliza-se da abordagem teórica de sistemas nacionais de inovação, na tradição de Aalborg, a qual ressalta: políticas sistêmicas conduzidas pelo Estado-Nação, processos de aprendizagem advindos de interações entre agentes, e é pautado em capacidades de aprendizagem idiossincráticas às diferentes nações. Esta abordagem encontrou espaço para se desenvolver teórica e empiricamente na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a partir das décadas de 1980/90, que atualmente é referência de pesquisa no tema. Nesta dissertação, demonstra-se como o Brasil, ao longo de seu processo de desenvolvimento econômico baseado na industrialização, 1930 a 2000, tem deixado de lado políticas que priorizam a interação entre agentes em um sistema nacional de ciência, tecnologia, inovação e aprendizagem, o que foge das orientações fornecidas pela OCDE. Também se avalia os atuais planos, os quais tentam se engajar com as orientações de tal organismo internacional
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/5975
Aparece nas coleções:PPGECO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Karine Daiane Zingler.pdf1.78 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.