Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6070
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorOliveira, Ivone Martins de-
dc.date.accessioned2016-12-23T14:01:49Z-
dc.date.available2013-12-16-
dc.date.available2016-12-23T14:01:49Z-
dc.identifier.citationSILVA, Jaqueline Ahnert Siqueira da. A Educação da criança surda com implante coclear: reflexões sobre a família, a clínica e a escola. 2013. 204 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/6070-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.rightsopen accessen
dc.titleA educação da criança surda com implante coclear: reflexões sobre a família, a clínica e a escolapor
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc37-
dc.subject.br-rjbnEscolaspor
dc.subject.br-rjbnFamíliapor
dcterms.abstractThe cochlear implant in our country is still considered a new practice, in particular with the deaf subject, because it is a recent procedure, which has been enabling, in a way, a hearing , often called by the media as bionic ear . The research aims at reflecting on the topic in order to understand more about that procedure that has been frequently carried out in Brazil. There has not been much research about this issue in the education field. Most of the data presented come from the clinical area. The implant possibility causes in the families of a deaf child the expectation of having a normal child and that anytime the child will be able to speak and hear. To achieve a good result, according to the speech specialists (audiologists), it is necessary that the child with the implant avoids contact with sign language and other people with hearing disability, which may compromise treatment. The study searches for analyzing the impacts of the cochlear implant in the life of a deaf child going to an Elementary School with a bilingual policy. The study uses as reference the historical-cultural perspective and considers the deaf is socially constituted, through the language, as cultural acquisition. It used the ethnographic study-case of a deaf child who had undergone surgery (cochlear implant). The field research was done through observation processes and semi-structures interviews. It attempts to comprehend the relation forms established between the child and the adults and other children in different spaces, as the child s home, the speech clinic, the school noting the repercussions from such relations the same way the child sees her/himself as the one with an implant. The study indicated that there are differences in the way the professionals understand the implanted children s condition and they relate with them in distinct ways. For some, the child is deaf and therefore, they prefer to use sign language when interacting. Others prioritize the orality, by considering that the implant can make the child able to hear and speak. Others even understand that an opportunity must be given to the child to learn the sign language and orality, in a way to broaden the child s possibilities of contact and interaction with others. That was also the mother s opinion. The analysis allows to see a child instructed regarding condition of an implanted child who is learning how to live with an implant. The child s testimonials provided evidence that the child recognizes her/himself as deaf and the sign language is the one that most fulfill her/his needs as a language user, however the opportunities brought by orality cannot be deniedeng
dcterms.abstractO implante coclear, em nosso país, ainda é uma prática que se considera nova, em especial com os sujeitos surdos, por se tratar de um procedimento recente, que vem possibilitando, de certa forma, uma audição que a mídia vem chamando de ouvido biônico . Esta pesquisa tem o propósito de refletir sobre o assunto a fim conhecer mais sobre esse procedimento que vem sendo realizado com certa frequência no Brasil. Poucas são as pesquisas sobre esse tema na área da educação. A maioria dos dados apresentados vem da área clínica. A possibilidade do implante gera, na família de uma criança surda, a expectativa de que terá uma criança normal e que, a qualquer momento, o filho vai falar e ouvir. Para ter um bom resultado, segundo os especialistas da Fonoaudiologia, é necessário que a criança implantada evite contato com Libras e com outros surdos, pois pode comprometer o tratamento. Este estudo visa a analisar os impactos do implante coclear na vida de uma criança surda que frequenta uma escola de Ensino Fundamental com uma política bilíngue. O estudo toma como referencial a perspectiva histórico-cultural e considera que o sujeito surdo é constituído socialmente, por meio da linguagem, como aquisição cultural. Nesta pesquisa foi realizado o estudo de caso do tipo etnográfico de uma criança surda que passou por uma intervenção cirúrgica (implante coclear). A pesquisa de campo ocorreu por meio de observação e entrevistas semiestruturadas. Busca compreender as formas de relação estabelecidas entre a criança e os adultos e outras crianças em diferentes espaços, como a casa da criança, a clínica fonoaudiológica, a escola, observando as repercussões dessas relações na maneira como a criança se vê como implantada. O estudo apontou que há diferenças no modo como os profissionais compreendem a condição da criança com implante e se relacionam com ela de maneiras distintas. Para alguns, ela é surda e, portanto, privilegiam a Libras na interação com ela. Outros priorizam a oralidade, por considerar que o implante pode possibilitar à criança ouvir e falar. Outros, ainda, entendem que deve ser dada oportunidade a ela de aprendizado da Libras e da oralidade, de forma a ampliar suas possibilidades de contato e interação com os outros. Essa era também a opinião da mãe. A análise permite ver uma criança informada sobre a sua condição de criança implantada e que está aprendendo a conviver com o implante. Os depoimentos da criança fornecem indícios de que ela se reconhece como surda e que a língua de sinais é a que mais a completa como usuária de uma língua, contudo não nega as novas possibilidades que a oralidade lhe trazpor
dcterms.creatorSilva, Jaqueline Ahnert Siqueira da-
dcterms.formattext-
dcterms.issued2013-08-29-
dcterms.languageporpor
dcterms.subjectSurdezpor
dcterms.subjectCriançaspor
dcterms.subjectImplantes coclearespor
dcterms.subjectPolítica bilinguepor
dcterms.subjectDeafnesseng
dcterms.subjectChildhoodeng
dcterms.subjectCochlear implanteng
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentEducaçãopor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqEducaçãopor
dc.publisher.courseMestrado em Educação-
dc.contributor.refereeRodrigues, David António-
dc.contributor.refereeDrago, Rogério-
dc.contributor.refereeVictor, Sonia Lopes-
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Jaqueline Ahnert Siqueira da Silva.pdf1.34 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.