Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6084
Título: Que História é essa? : percursos da História ensinada a crianças em escolas do ensino fundamental
Autor(es): Luiz, Miriã Lúcia
Orientador: Simões, Regina Helena Silva
Data do documento: 26-Abr-2010
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LUIZ, Miriã Lúcia. Que história é essa? Percursos da história ensinada a crianças em escolas do ensino fundamental. 2010. 242 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2010.
Resumo: O estudo investiga como se configura o ensino de História nas séries iniciais do ensino fundamental. Parte das proposições de Marc Bloch (2001) e Le Goff (2001, 2003, 2005, 2009), que permitem ampliar a noção de tempo histórico, assim como a concepção de fontes históricas. Esta pesquisa compreende as professoras como aquelas que medeiam os processos de aprender e ensinar História, como intelectuais transformadoras (GIROUX, 1997), em constantes processos formativos, sempre marcados pela reflexão das suas próprias práticas (NÓVOA, 1995). Entende que as professoras se apropriam (CHARTIER, 1990) do currículo que lhes é apresentado por múltiplas vias, portanto, o currículo não é neutro (SACRISTÁN, 1998). As professoras são, inevitavelmente, mediadoras. A elas é atribuído, politicamente, o papel de adaptadoras ou, em maior medida, o de criadoras (SACRISTÁN (1998). O currículo, nesse direcionamento, pode ser pensado no sentido proposto por Ferraço (2004), ou seja, nas redes de saberesfazeres, de discursospráticas. Pela via da aplicação de questionários, observações, realização de entrevistas e análise de conteúdo (BARDIN, 2007), investiga as práticas das professoras no município de Mantenópolis, visando a compreender como se efetiva o ensino de História e as apropriações que elas fazem das diretrizes curriculares. No contexto investigado, são apontadas, como temáticas principais para ensinar nas aulas: a História local, a História de vida da criança, as datas comemorativas e a temporalidade, tendo como principal recurso para esse ensino o livro didático. É por essa via que as professoras se apropriam dos conteúdos das diretrizes curriculares. Trata-se de situações multifacetadas, configurando em momentos em que a História se revela de modo fragmentado e aleatório, com o uso predominante do livro didático, em que os conteúdos de História aparecem como distantes das vivências das professoras e dos alunos. Entretanto, em outras situações, a História aparece com seus gozos e prazeres, de uma maneira integrada, articulando-se aos demais saberes que compõem o contexto das aulas das séries iniciais. No contexto investigado, a História se apresenta como uma disciplina que, integrada aos demais saberes, contribui para a aprendizagem dos alunos, principalmente no que se refere à leitura e à escrita, que constituem objetivo crucial das séries iniciais
This study investigates how history is taught in early grades of elementary school. It departs from the propositions by Marc Bloch (2001) and Le Goff (2001, 2003, 2005, 2009), which allow broadening the notion of historical time, as well as the concept of historical sources. By understanding teachers as those who mediate the processes of learning and teaching history, I see them as intellectual agents of change (GIROUX, 1997) in constant formative process, always marked by reflection on their own practices (NÓVOA, 1995). I thus understand that teachers appropriate (CHARTIER, 1990) the curriculum presented to them through different ways. The curriculum therefore is not neutral (SACRISTÁN, 1998). Thus, teachers are inevitably mediators to whom I also assign the role of adaptors or, in a broader sense, creators (SACRISTÁN (1998). The curriculum, in this sense, can be understood as suggested by Ferraço (2004), i.e. in the knowledge-actions and discourse-practice networks. By means of questionnaires, observation, interviews and content analysis approach (BARDIN, 2007), I investigated the teachers‟ practice in the city of Mantenópolis in order to understand how history teaching takes place, and the appropriation these teachers make of the curriculum guidelines. In the study context, the following themes are pointed out to be taught during the classes: local history; the child‟s history; commemorative dates and temporality, for which the main resource was the coursebook. I understand that it is by these means that teachers appropriate the curricular guideline contents. I see that these are multifaceted situations, taking place in moments in which history is revealed fragmented and randomly through the predominant use of a coursebook, which shows history as distant experiences of the teachers and students'. However, in other situations, History is portrayed with its joys and pleasures, in an integrated way, blending with the other knowledge that makes up the context of early school grades. Therefore, I notice that, in the study context, History emerges as an auxiliary subject that, when integrated with other types of knowledge, contributes to students‟ learning process, especially reading and writing – essential goals at early stages
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6084
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Dissertacao Miria pre textual ate p 83.pdf2.01 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.