Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6091
Título: Uma educação imperfeita para uma liberdade imperfeita : escravidão e educação no Espírito Santo (1869-1889)
Autor(es): França, Aldaires Souto
Orientador: Leite, Juçara Luzia
Palavras-chave: Educação
História
Espírito Santo
Cultura
Escravidão
Imprensa
Education
History
Espirito Santo
Culture
Slavery
Press
Data do documento: 27-Abr-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FRANÇA, Aldaires Souto. Uma educação imperfeita para uma liberdade imperfeita : escravidão e educação no Espírito Santo (1869-1889). 2006. 312 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.
Resumo: Este estudo objetivou investigar as medidas educacionais, oficiais ou não, em relação aos trabalhadores negros escravizados, livres ou libertos nas últimas décadas do século XIX, a partir do pensamento da elite intelectual-dirigente espírito-santense expresso principalmente na imprensa local; bem como compreender as possibilidades de apropriação dessas práticas educacionais por esses sujeitos históricos. Fundamentou-se no campo da História da Educação com uma proposta de abordagem ancorada na História Cultura. A investigação baseou-se em fontes impressas, especificamente a imprensa espírito-santense, e no cruzamento com outras fontes documentais correspondentes ao período, tais como: leis provinciais, regulamentos, relatórios de presidentes da Província, jornais de outras províncias e da Corte, e Anais das Assembléias Legislativas, disponibilizadas no Arquivo Estadual do Espírito Santo (APEES), no Arquivo da Cúria Diocesana e no Arquivo da Assembléia Legislativa. Além disso, foram consideradas outras fontes bibliográficas específicas sobre a Província do Espírito Santo neste período, como, por exemplo, Basílio Carvalho Daemon (1879), Amâncio Pereira (1914), Maria Stela de Novaes (1963 e 1964), Primitivo Moacyr (1940), Serafim Derenzi (1965) e José Teixeira Oliveira (1975). Também foram de suma importância os relatos e imagens de Jean-Baptiste Debret (1978), as fotografias de George Ermakoff (2004) e os relatos de Saint-Hilaire (1974). Assim, foi possível concluir que a educação oferecida aos trabalhadores negros escravizados, livres e libertos era imperfeita da mesma forma que a liberdade oferecida e conquistada por estes, pois privilegiou a preocupação da elite intelectual-dirigente com a educação para o trabalho e na imposição de um modelo de integração, objetivando manter a hierarquia tanto racial como a sociallllllll
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6091
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CAPA, CAPA DE ROSTO, ETC.pdf67.53 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.