Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6125
Título: Uma metodologia para reconfiguração de redes inteligentes
Autor(es): Bento, Fabio Ricardo Oliveira
Orientador: Celeste, Wanderley Cardoso
Palavras-chave: Sistemas de energia elétrica
Geração distribuida de energia elétrica
Inteligência computacional
Redes inteligentes de energia
Microrrede (Sistemas de energia elétrica)
Data do documento: 14-Jun-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BENTO, Fabio Ricardo Oliveira. Uma metodologia para reconfiguração de redes inteligentes. 2013. 125 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia/Tecnologia/Gestão) - Universidade Federal do Espírito Santo, São Mateus, 2013.
Resumo: Neste trabalho é apresentada uma metodologia para reconfiguração de redes inteligentes de energia elétrica, a qual consiste em uso de grafos para representação de redes elétricas, divisão de redes elétricas em zonas de proteção, manutenção de balanço de potência dentro das zonas de proteção, uso de inteligência computacional para rejeitar cargas menos prioritárias em situações de contingências e indicadores de desempenho que quantificam o resultado de uma reconfiguração. A metodologia proposta é aplicada a duas microrredes elétricas que são bem definidas na literatura a SPS de 8 barras e a CERTS modificada , a fim de validá-la. Para isso, foram simulados os vários cenários de falhas presentes na literatura. A seguir, foi proposta uma rede inteligente contendo duas microrredes semelhantes às supracitadas SPS e CERTS, as quais foram interconectadas eletricamente. Cada microrrede da rede inteligente proposta possui também conexões com o Sistema Elétrico de Potência (SEP), quando operando em estado normal. Além disso, a rede inteligente conta com dispositivos de armazenamento de energia (baterias) situados em pontos considerados estratégicos. Por fim, a metodologia de reconfiguração foi aplicada à rede inteligente proposta, onde foram simuladas falhas graves que isolaram as microrredes do SEP e, além disso, diminuíram consideravelmente a capacidade de geração de uma das microrredes. Com isso, simulou-se ainda a existência e a não existência de cooperação entre as microrredes e a existência e não existência dos dispositivos de armazenamento de energia. Logo, com o auxílio dos índices de desempenho propostos foi possível concluir que a existência de cooperação entre microrredes e/ou de dispositivos de armazenamento de energia ajudam a mitigar os impactos de contingência
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6125
Aparece nas coleções:PPGEN – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Fabio Ricardo Oliveira Bento.pdf2.85 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.