Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6183
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFerreira, Walnório Graça-
dc.date.accessioned2016-12-23T14:05:54Z-
dc.date.available2007-12-12-
dc.date.available2016-12-23T14:05:54Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/6183-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.rightsrestrict accessen
dc.titleAnálise teórico-experimental de colunas curtas em perfis formados a frio de seção transversal tipo rackpor
dc.typemasterThesiseng
dc.subject.udc624-
dcterms.abstractA facilidade de montagem, a versatilidade de uso e a variedade de modelos fizeram com que os sistemas de armazenagem industrial conquistassem significativo espaço no mercado nacional de armazenagem e estocagem de materiais. Mais conhecidos como racks, a maioria desses sistemas são constituídos por perfis formados a frio e o encaixe entre as peças é feito através de ligações semi-rígidas, parafusadas ou não-parafusadas. Geralmente suas colunas têm seção transversal aberta e possuem diversas perfurações que facilitam os encaixes das ligações com os demais elementos do sistema. As normas existentes para dimensionamento de perfis formados a frio não se aplicam a essas estruturas por diversos fatores, tais como: verificação da estabilidade global do sistema, deformações construtivas, solicitações horizontais e verticais impostas acidentalmente pelos equipamentos de transporte e a influência das perfurações na capacidade de carga das colunas. Essas particularidades fizeram com que alguns fabricantes desenvolvessem procedimentos para verificação estrutural desses elementos. A Storage Equipment Manufacturers Association , SEMA (1980), o Rack Manufacturers Institute , RMI (1997) e a Federation Européenne de la Manutention , FEM (1996), respectivamente empregados na Inglaterra, Estados Unidos e Europa, são exemplos de especificações desenvolvidas para o dimensionamento dos sistemas de armazenagem industriais. Neste trabalho foram realizadas análises experimentais em colunas curtas com seção tipo rack de diferentes espessuras, com e sem furos, de modo a avaliar a influência das perfurações na capacidade de carga e nas deformações sofridas durante os ensaios. Os resultados experimentais das colunas com furos foram comparados com as prescrições do RMI e a formulação proposta por Sarawit e Peköz (2003). Já para as colunas sem furos, a comparação foi feita com as prescrições indicadas pela norma americana e pela norma brasileira de dimensionamento de perfis formados a frio. Finalmente, é proposta uma formulação para aplicar as recomendações da NBR 14762 às colunas com furos, utilizando o método indicado pelo RMI para o cálculo da área efetiva.por
dcterms.abstractThe assembly facility, flexibility and diversity had made with that the storage racks systems to be widely used in Brazil. These systems normally consist of cold-formed steel members, and the connections of these are made by semi-rigid links, with bolts or not. Its columns are usually open thin walled perforated to accept the rabbet with other members. The design codes of cold-formed steel structures do not could be apply for racks systems for several reasons: verification of global stability, effect of the out-of-plumbness, horizontal and vertical imposed accidentally by transport equipments and the influence of perforations in the columns load capacity. Due these particularities, some manufactures have developed specific procedures for structural verification and design of these systems. The Storage Equipment Manufactures Association (SEMA, England, 1980), the Rack Manufactures Institute (RMI, USA, 1997) and Federation Européene de la Manutetion (FEM, 1996), applied in England, United States and Europe, respectively, are examples of specification developed for design of racks. In this work, experimental analysis in short columns with section had been carried through rack sections with different thicknesses, with and without holes, in order to evaluate the influence of the perforations in the load capacity and the deformations suffer during the test. The experimental results of perforated columns had been compared with RMI procedure and the proposed equation by Sarawit and Peköz (2003). Already for columns without holes, the association was made between the American and Brazilian codes for cold-formed steel structures. And, finally, is considered a new formulation to apply the NBR 14762 to perforated columns, using the effective area design by RMI.eng
dcterms.creatorRibeiro, Fernanda Simões-
dcterms.formatTexteng
dcterms.issued2006-06-19-
dcterms.languageporpor
dcterms.subjectEstruturas metálicaspor
dcterms.subjectColunas metálicaspor
dcterms.subjectDeformações e tensõespor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Civilpor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqEngenharia Civilpor
dc.publisher.courseMestrado em Engenharia Civilpor
dc.contributor.refereeBatista, Eduardo de Miranda-
dc.contributor.advisor-coFreitas, Arlene Maria Sarmanho-
Aparece nas coleções:PPGEC - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
FernandaRibeiro2006.pdf7.59 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.