Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6454
Título: Muito além do que se vê : a alegoria, em Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago
Autor(es): Souza, Adriana Vieira de
Orientador: Sodré, Paulo Roberto
Palavras-chave: José Saramago. Ensaio sobre a cegueira
José Saramago. alegoria
Narrativa alegórica
José Saramago. Ensaio sobre a cegueira
José Saramago. allegory
Allegorical narrative
Data do documento: 4-Ago-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOUZA, Adriana Vieira de. Muito além do que se vê : a alegoria, em Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago. 2011. 117 f. Dissertação (Mestrado em Mestrado em Estudos Literários) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.
Resumo: The objective of this research is the analysis of textual features worked by José Saramago, the allegorical structure of his novel Ensaio sobre a cegueira (1995). It presents a review of the theoretical concept of allegory, considering its origins, forms and subdivisions, and points out the similarities and the imbalance between allegory and other figures of speech. This sort of historical allegory: "allegory of poets" and "allegory of theologians." It highlights the opposition between symbol and allegory, promoted by the romantics and focuses on the concept of "allegorical reading." It points to the allegorical elements present in the narrative: the words that illustrate his own title, the intertextuality with the sayings, the characters, the narrator and narrative spaces. Based on studies of Walter Benjamin, Kothe Flávio, João Adolfo Hansen, Mikhail Bakhtin and Marc Augé, seeks to highlight the novel by Saramago as a place for questioning the man in the world
O objetivo desta pesquisa é a análise das características textuais trabalhadas por José Saramago, na estrutura alegórica de seu romance Ensaio sobre a cegueira (1995). Para isso, realiza uma revisão teórica do conceito de alegoria, considerando sua origem, formas e subdivisões, e aponta as semelhanças e as desproporções entre alegoria e outras figuras de linguagem. Trata da classificação histórica da alegoria: alegoria dos poetas e alegoria dos teólogos . Destaca a oposição entre símbolo e alegoria, promovida pelos românticos e enfoca o conceito de leitura alegórica . Pontua os elementos alegóricos presentes na narrativa: nos vocábulos que ilustram o seu próprio título, na intertextualidade com os ditos populares, nas personagens, no narrador e nos espaços narrativos. Fundamentada nos estudos de Walter Benjamin, Flávio Kothe, João Adolfo Hansen, Mikhail Bakhtin e Marc Augé, busca ressaltar o romance de Saramago como espaço de questionamento do homem no mundo
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6454
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Adriana Vieira de Souza.pdf564.66 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.