Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6461
Título: Fotografias (re)veladas em álbum de família: a tragédia rodriguiana multifacetada
Autor(es): Lyrio, Fernanda Maia
Orientador: Azevedo Filho, Deneval Siqueira de
Data do documento: 5-Dez-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LYRIO, Fernanda Maia. Fotografias(re)veladas em álbum de família: a tragédia rodriguiana multifacetada. 2011. 135 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2011.
Resumo: À luz de estudiosos da dramaturgia de Nelson Rodrigues, como Sábato Magaldi, Eudinyr Fraga, Décio de Almeida Prado, Adriana Facina, de críticos e ensaístas acerca da tragédia moderna, como Raymond Williams e Peter Szondi, e de críticos da tragédia rodriguiana, a citar, Carla Souto, Elen de Medeiros, Victor Adler Pereira dentre outros estudiosos do dramaturgo pernambucano, a proposta apresentada visa a situar a peça Álbum de Família (1945) no cenário da dramaturgia brasileira, observando o posicionamento da crítica diante do terceiro e mais polêmico texto teatral de Nelson Rodrigues, bem como as múltiplas faces que essa tragédia assume dadas a complexidade das personagens e do texto dramático em questão. Serão utilizados para a análise textual, aparatos críticos e teóricos das noções de tragicidade e de contextualização da obra no cenário nacional, apontando-se, assim, as apropriações que o dramaturgo brasileiro fez do gênero em questão, especialmente no que concerne às inovações que ele propôs para que as noções de ―trágico‖ e de ―tragédia‖ ganhassem contornos mais singulares na obra estudada. A angústia de existir em Álbum de Família (1945) é a prova cabal da dicotomia existente entre o ―eu‖ e o ―outro‖: herói e anti-herói, posto que as fotografias do álbum do casal protagonista, Jonas e D. Senhorinha, reforçam a influência do ―outro‖ nas frustrações e nas impossibilidades de ―realização plena‖ dos ideais de cada um dos componentes de toda uma estrutura familiar ―deformada‖, ―desagradável‖ e ―atormentada‖ pela unidade trágica do texto que a performatiza.
Using some of Nelson Rodrigues dramaturgy researchers, such as Sábato Magaldi, Eudinyr Fraga, Décio de Almeida Prado and Adriana Facina; of critics and essayists on modern tragedy as Raymond Williams and Peter Szondi; and also of critics on Rodrigues tragedy, such as Carla Souto, Elen de Medeiros and Victor Adler Pereira among other researchers on this playwriter who comes from Pernambuco, the present proposal aims to put the play Álbum de Família (1945) in Brazilian dramaturgy scenario, observing the critics position about the third and most controversial theatrical Nelson Rodrigues text, as well as the multiple faces that this tragedy assumes given the complexity of its characters and of the text itself. For textual analysis, it will be used critical and theoretical apparatus of notions on tragedy and work its context in the national scenario, pointing out some appropriation which were made by the Brazilian playwriter of the gender in question, especially considering the innovations he proposed so that the concepts of ―tragic‖ and ―tragedy‖ would gain more singular outlines on this studied work. Anguish of existing in Álbum de Família (1945) is a proper example of the dichotomy between the ―I‖ and the ―other‖; hero and anti-hero, since the couple s photographs on the album, Jonas and D. Senhorinha, reinforce the influence of the ―other‖ on frustrations and impossibilities of ―fulfillment‖ of each component s ideals of an entire family structure; ―deformed‖, ―unpleasant‖, ―tormented‖ by the tragic unit of the text performed by them.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6461
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Fernanda Maia Lyrio.pdf1.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.