Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6648
Título:  TDAH, quem realmente o tem? transtorno de déficit de atenção e hiperatividade na criança escolar: uso dos critérios diagnósticos e tratamento proposto pelos profissionais da saúde mental
Título(s) alternativo(s): ADHD; mental health professionals; diagnose; treatment
Autor(es): Peixoto, Ana Lucia Balbino
Orientador: Rodrigues, Maria Margarida Pereira
Palavras-chave: TDAH
profissionais da saúde mental
diagnóstico
tratamento
Data do documento: 21-Jul-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PEIXOTO, Ana Lucia Balbino. ADHD; mental health professionals; diagnose; treatment. 2006. 106 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.
Resumo: Muitos estudos têm sido publicados sobre a criança com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), entretanto, são poucos os que descrevem quais os critérios de diagnóstico e tratamento adotados pelos profissionais envolvidos. Este estudo teve como objetivo descrever a utilização dos critérios de diagnóstico e de tratamento das crianças escolares com TDAH, por profissionais da área de saúde mental. Participaram 10 neurologistas, 10 psiquiatras e 10 psicólogos, que atuavam em consultórios privados na região da Grande Vitória/ES. Foram realizadas entrevistas individuais semi-estruturadas, posteriormente transcritas integralmente, e, os dados encontrados foram analisados de acordo com os objetivos deste estudo, e, organizados à partir da Análise de Conteúdo. Os resultados encontrados indicaram que o diagnóstico de TDAH realizado pelos participantes foi baseado principalmente na consulta com os pais, sem adesão aparente dos critérios recomendados pela literatura. A maioria dos participantes adota a medicação como forma principal de tratamento, apesar de reconhecerem a necessidade de uma equipe multidisciplinar. A comunicação entre os pais, crianças, professores e profissionais pareceuinsuficiente, sem o estabelecimento de qualquer plano de tratamento.
everal studies have been published regarding the care of children with attention deficit/hyperactivity disorder (ADHD), however, few have described the criteria used to diagnose and treat the disorder that have been adopted the professionals involved. This study sought to describe the use of criteria to diagnose and treat school-aged children with ADHD by mental health professionals. The participants included 10 neurologists, 10 psychiatrics, 10 psychologists, who attended in private offices from the region of Greater Victoria/ES. Semi-structured individual interviews were conducted, and after the transcriptions were analyzed for the purpose of this study and organized by Structural Analysis, the following data was found. The results showed that the diagnosis of ADHD done by the participants was primarily based on the parent s interview, showing no adherence to the criteria recommended by the scientific community. Despite a recognized need to work with a multidisciplinary team, the majority of participants adopted medication as the principal form of treatment. The communication between parents, children, teachers and the professionals seemed insufficient, and without the establishment of any treatment program.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6648
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao de Mestrado.pdf475.54 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.