Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6680
Título: Análise de eventos privados do tipo sentir sob controle de contingências programadas em um software.
Título(s) alternativo(s): Analysis of private events (fellings) under control of programmed contingencies in a software
Autor(es): Cunha, Luciano de Souza
Orientador: Borloti, Elizeu Batista
Palavras-chave: Sentimento
Análise Experimental do Comportamento
Tacto
Eventos Privados
Feeling
Experimental Analysis of Behavior
Tact
Private Events
Data do documento: 16-Abr-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CUNHA, Luciano de Souza. Analysis of private events (fellings) under control of programmed contingencies in a software. 2007. 143 f. Dissertação (Mestrado em Processos Psicossociais; Processos de Desenvolvimento; Psicologia Social e Saúde) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2007.
Resumo: Behavior Analysts have appointed relations between contingencies of reinforcement, corporeal conditions (private events), and public events. The aim of this experiment was to investigate the control of programmed contingencies on private events (fellings), using a procedure that caused those events and evoked the tact of them (feelings). Twenty students executed the assignments from the software PsychoTacto 2.0. They were students (both sex aged between 11 and 14 years old) from a private elementary school in Vitória-ES. In front of a screen with four stimulus (cards), one located at the upper central part (model stimulus) and three aligned at the lower central part of the screen (comparison stimulus), the subjectives had answered, clicking with a mouse on one of the comparison stimulus. The consequence was programmed according to the basic contingencies of reinforcement in operation and at the end of each step they told what they felt. The cardiac frequency and the latency time of the answers were measured; motor and verbal behaviors were registered by trained observers; from the verbal ones was inferred instructional control about the performance. In the Positive Reinforcement phase predominated contentment (30%), anxiety (30%), satisfaction (20%) and joy (20%) reports. In the Negative Punishment phase predominated frustration (50%), disappointment (20%), sadness (20%) and apprehension (10%) reports. In the Positive Punishment phase predominated anger (30%), disgust (20%), anxiety (20%), apprehension (20%) and fear (10%) reports. And in the Negative Reinforcement, anxiety (40%), apprehension (30%) and relief (30%) reports. In all of the phases the answers presented a different average time of latency time, being the longest for the Positive Reinforcement (3 minutes and 17 seconds) and the shorter for Negative Reinforcement (1 minute and 23 seconds). The formulated rules indicated the non discrimination of the performance as a controlled variable. The combined motor, verbal and cardiac data indicate that the exhibition to contingencies can eliciate private events (feelings) and produce tacts of them. No discrepancies were registered among the obtained data from both, boys and girls.
Analistas de Comportamento têm apontado relações entre contingências de reforçamento, estados corporais (eventos privados) e eventos públicos. O presente experimento teve por objetivo investigar o controle de contingências programadas sobre eventos privados do tipo sentir, empregando um procedimento que eliciou tais eventos e evocou o tacto dos mesmos (sentimentos). Participaram 20 estudantes, de ambos os sexos, com idade entre 11 e 14 anos, que cursavam o ensino fundamental em uma escola privada de Vitória-ES, que executaram as tarefas do software PsychoTacto 2.0. Diante de uma tela dispondo de quatro estímulos (cards), um localizado na parte superior central (estímulo-modelo) e três alinhados na parte inferior central da tela (estímulos-comparação), os participantes respondiam clicando com um mouse em um dos estímulo-comparação a conseqüência era programada de acordo com a contingência básica de reforçamento em operação e, ao término de cada procedimento, relatavam o que sentiram. A freqüência cardíaca e a latência das respostas foram medidas; comportamentos motores e verbais foram registrados por observadores treinados; dos verbais foi inferido controle instrucional sobre o desempenho. Resultados: na fase Reforçamento Positivo predominaram relatos de contentamento (30%), ansiedade (30%), satisfação (20%) e alegria (20%). Na fase Punição Negativa, predominaram relatos de frustração (50%), desapontamento (20%), tristeza (20%) e apreensão (10%). Na fase Punição Positiva, predominaram relatos de raiva (30%), aborrecimento (20%), ansiedade (20%), apreensão (20%) e medo (10%). E na fase Reforçamento Negativo, relatos de ansiedade (40%), apreensão (30%) e alívio (30%). Em todas as fases as respostas apresentaram um tempo médio de latência diferente, sendo a maior para o Reforçamento Positivo (3 min e 17 seg) e a menor para o Reforçamento Negativo (1 min e 23 seg). As regras formuladas indicaram a não discriminação do desempenho como variável controlada. Os dados motores, verbais e cardíacos combinados mostram que a exposição a contingências pode eliciar eventos privados do tipo sentir e produzir tactos dos mesmos. Não foram registradas discrepâncias entre os dados obtidos entre meninos e meninas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6680
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Luciano de Sousa Cunha.pdf817.41 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.