Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6730
Título: Desvios, sobre arte e vida na contemporaneidade
Autor(es): Silva, Rubiane Vanessa Maia da
Orientador: Machado, Leila Aparecida Domingues
Palavras-chave: Arte contemporânea
Performance
Vida
Delicadeza
Subjetividade e Clínica
Contemporary art
Performance
Life
Kindness
Subjectivity and
Data do documento: 18-Nov-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, Rubiane Vanessa Maia da. Desvios, sobre arte e vida na contemporaneidade. 2012. 142 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Institucional) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2012.
Resumo: Esta dissertação problematiza a relação entre arte e vida na contemporaneidade. Mais especificamente, busca-se, em alguns aspectos da Arte Contemporânea, as matérias de expressão que se dão nos encontros com a força da vida e da alteridade. Criação e invenção de outros modos de percepção e relação com o vivido, porosidade à flor da pele, passagem de afetos. As práticas artísticas, principalmente as que se constituem como processo, atuam como dispositivos capazes de disparar novos modos, outros possíveis, intensas relações espaço-temporais. Procuramos dar visibilidade aos encontros, e às atuações com performance e intervenção urbana, que rumo às experimentações, às errâncias, aos desvios e um tanto mais, colocam-se em xeque como disparadores de linhas de fuga e resistência. Força, que em sua constituição embaralha os códigos, aciona ritmos e experimentações, que provoca certas aberturas e misturas entre corpos. Laboratório ético, estético e político do sensível, da heterogeneidade, do outramento. Enfim, esta pesquisa define-se no entrecruzamento entre problematizar e interferir sobre os modos de vida que estão se constituindo, as subjetividades que estão se produzindo, em meio aos tantos desassossegos e anestesiamentos. E assim, criamos tensionamentos e ações entre corpo e mundo para experimentação e convocação de corpos mais vivos e vibráteis. E pensamos a arte como poética que nos desvia do mesmo, e contamina, via forças micropolíticas, na invenção de novos mundos neste mundo. Outros odores, rumores, palavras, imagens, cores, texturas, gestos, danças, cheiros, olhares...
This essay discusses the relationship between art and life in contemporary. More specifically, we seek to, in some aspects of contemporary art, the materials of expression that occur in meetings with the power of life otherness. Creation and invention of other manners of perception and relationship with the living, porosity to the surface, passing affections. Artistic practices, especially those which constitute the process, act as new devices able to shoot methods, other possible, intense space-time relationship. We try to give visibility to the meetings, and performances and urban intervention, which towards the trials, the wanderings, detours and the rather more put themselves into question as triggers of lines of spaces and resistance. Force, in constitution that scrambles codes, drives rhythms and experimentation, with leads to certain gaps and mixed bodies. Laboratory ethical, aesthetic and political sensitivity of heterogeneity and enlightmen. The main conclusion of the study concerns the intersection between questioning and interfere with the lifestyles that are constituting the subjectivities that are taking place in the midst of so many anxieties and anesthetized. And so, actions and create tensions between body and word to trial andcall for more living and vibrating bodies. And think of the poetic art as that distracts us from the same, and contaminates, by micro-forces, the invention of new words on the word. Other odors, rumors, images, colors, textures, gestures, dances, smell looks...
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6730
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Rubiane Vanessa Maia da Silva.pdf5.32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.