Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6847
Título: Mnemosine, Clio e a memória histórica da educação de jovens e adultos em/com ações de extensão na UFES de 1986 a 1996
Autor(es): Vieira, Tatiana de Santana
Orientador: Oliveira, Edna Castro de
Palavras-chave: Historia
Memoria
Educación de Jóvenes y Adultos
Proyectos
Data do documento: 7-Dez-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A pesquisa investiga a história da educação de jovens e adultos (EJA) em três projetos de extensão da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), desenvolvidos no período de 1986 a 1996, que compreendeu o processo de redemocratização pós-Ditadura Civil-Militar à criação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, Lei n. 9.394/96 e a institucionalização do Núcleo de Educação de Jovens e Adultos (NEJA) da UFES. À luz do objetivo geral de visibilizar as memórias históricas da EJA por meio de fontes geradas em práticas e processos formativos das ações extensionistas, desenvolve a metodologia de natureza qualitativa e perspectiva histórica. Adota documentos-monumentos, narrativas de sujeitos e fontes escritas e imagéticas como fios de memória para interpretação dos vestígios que (re)constroem parte da história da EJA. Destaca a constituição do NEJA em um lugar de memória, trazendo em si a forte marca da resistência e da ação política em prol do desenvolvimento de formação de educadores, alfabetização e pós-alfabetização de jovens e adultos. Evidencia ainda o protagonismo metodológico e teórico desenvolvido pelo núcleo. As memórias dos projetos denotam que à medida que a EJA foi reconfigurada pelas políticas públicas educacionais, os princípios da educação popular perderam espaço. Os resultados indicam a prevalência do silenciamento sobre as lembranças na EJA, sobretudo no Espírito Santo. Desse modo, as memórias do NEJA colaboram com a reconstrução de uma história marcada pela resistência e persistência em afirmar a educação como direito para jovens e adultos.
The research investigates the history of the education of young people and adults (EJA) in three extension projects of the Federal University of Espírito Santo (UFES), developed between 1986 and 1996, that encompassed the process of democratization post Civilian/Military Dictatorship till the creation of the Law of Guidelines and Bases for the Education, Law no. 9.394/96 and the institutionalization of the Education for Young people and Adults Nucleus (NEJA) at UFES. In the light of the overall objective which is to make visible the historical memories of the EJA by means of sources generated in the practices and formation processes of the extension actions, the research develops the methodology of a qualitative nature and historical perspective. It adopts documents-monuments, narratives of subject, written and imagistic sources as memory trends for the interpretation of the remains that (re)build part of the history of the EJA. It highlights the constitution of the NEJA as a place of memory, bringing in itself as a strong mark of resistance and political action in favor of development of educator’s formation, literacy and post-literacy for youth and adults. It also brings to light the prevailing methodological and theoretical developed by NEJA. The memories of the projects denote that to the extension that EJA was reconfigured by the public educational policies, the principles of popular education have lost ground. The results indicate the prevalence of silencing about the EJA memories, especially in the estate of Espirito Santo. In this way, the memories of the NEJA collaborate with the reconstruction of a history marked by the strength and persistence to assert education as a right for young people and adults.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6847
Aparece nas coleções:PPGE - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11704_TESE_Tatiana de Santana Vieira_REVIS_O FINAL.pdf6.05 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.