Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6854
Título: ENCONTROS SURDO-SURDO (S) COMO ESPAÇO DE PRODUÇÃO DE UMA COMUNIDADE: A POTÊNCIA DO (S) ENCONTRO (S)-AMIZADE (S)
Autor(es): PIMENTA, B. M.
Orientador: VIEIRA-MACHADO, L. M. C.
Palavras-chave: Comunidade surda
Surdos
Encontro
Data do documento: 30-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PIMENTA, B. M., ENCONTROS SURDO-SURDO (S) COMO ESPAÇO DE PRODUÇÃO DE UMA COMUNIDADE: A POTÊNCIA DO (S) ENCONTRO (S)-AMIZADE (S)
Resumo: Pretende-se responder como as multiplicidades surdas são produzidas nas redes tecidas nos encontros surdo-surdo(s), problematizando os efeitos dessas reuniões nos espaços-tempos. Como procedimento teórico-metodológico, dispõe-se da filosofia da diferença em Deleuze e Guattari, passando pelo exercício de uma pesquisa voltada ao processo de (des) territorializações, conexões, rupturas, entre outras teorizações deleuzianas que impulsionaram a produção de conceitos específicos para este trabalho. Qualquer pessoa está em constante transformação. Os surdos produziram o que aqui se denomina Nós (surdos) e Eles (ouvintes). Em alguns momentos, existe a oportunidade de todos serem Nós , porém em constante vigilância. Os Nós constituem-se os agentes racionais os associáveis e os estranhos os não associáveis , os Eles . Também se realizam, a partir dos encontros no futebol, os encontros-amizades . Utiliza-se a metodologia cartográfica como modo de escrita e produção dos dados. Os sujeitos participantes, surdos que se encontram em diferentes espaços comunitários, são universitários, estudantes de ensino médio, surdos-professores e surdos que não concluíram seus estudos, em diferentes faixas etárias. Assim, entende-se que os encontros surdo-surdo (s) promovem as diferenças surdas que impulsionam as comunidade (s) surda (s) a serem formadoras de um espaço-tempo de produção linguística. Essas diferenças são possíveis devido a vários fatores, tanto de âmbito cognitivo quanto social, como também a influências a que cada um está ex-posto , seguindo seu fluxo onde lhe for mais confortável, possível e desejado. Compreende-se como comunidade (s) surda (s) os diferentes espaços de relação entre os sujeitos, não somente um modo específico de comunidade que engessa e iguala todos. Tal engessamento se dá pelas lutas políticas e por algumas ações que ditam um modo ideal de ser e estar sendo sujeito dessa ou daquela comunidade, ocasionando o apagamento das diferenças existentes o apagamento das diferenças surdas. Percebe-se, no entanto, que a comunidade surda se faz necessária, inclusive a necessidade da conversa que se estabelece com maior força no entremeio dessa comunidade espaço-tempo daqueles que têm algo em comum. Agenciadora de pessoas surdas, nela os encontros-amizades se realizam ainda como um espaço-tempo em que a maioria dos surdos desejam estar, porque têm a possibilidade do contato com seu par linguístico. Palavras-chave: Comunidade surda. Surdos. Encontro.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6854
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11705_Disserta__o de Brigida.pdf2.03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.