Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6864
Título: A construção do papel da agroecologia no programa agrário do MST
Autor(es): Neves, Thaís Ricarte
Orientador: Moreira, Renata Couto
Palavras-chave: Sustentabilidade e meio ambiente
Data do documento: 31-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Esta dissertação traz a análise crítica de discurso da construção do papel da agroecologia no programa agrário do MST, em seu aspecto sócioambiental, utilizando como metodologia o materialismo histórico dialético e tendo como categoria de análise, o metabolismo ser humano/natureza. E para o desenvolvimento da dissertação, foi realizado uma revisão de literatura sobre a questão agrária brasileira do século XXI, com foco na compreensão do rompimento do metabolismo entre ser humano e natureza, com o intuito de contextualizar a realidade em que o MST está inserido e sobre o que este luta. Avançando na pesquisa foi elaborada uma revisão de literatura sobre os fundamentos teóricos da agroecologia, com o intuito de trazer o embasamento teórico sobre a ciência, visto que o MST se fundamentou a partir destes fundamentos. E ao final foi efetivada a análise do discurso público do MST nos documentos publicados pelo movimento e à luz dos autores teóricos que estudam a agroecologia, a fim de desvelar como o MST relaciona a agroecologia com a proposta de transformação social e com os princípios da sustentabilidade ambiental, e quais os elementos trazidos pelos autores teóricos que o MST reafirmou ou negou na construção da agroecologia em seu programa político. Os resultados da análise revelam que o MST traz a construção de uma agroecologia para além de um conceito ou de práticas sustentáveis, transcendendo a defesa de uma agroecologia acadêmica, institucional, e reformista. Ou seja, traz a agroecologia como estratégia para o funcionamento do modelo de agricultura proposto pelo movimento, que tem como fundamento a transformação social para o povo e em bases sustentáveis ambientalmente. Logo, o papel da agroecologia para o MST vai de encontro com a realidade posta pelas contradições produzidas pelo modo de produção capitalista e inerente a este. Colocando em xeque um modo de produção agrícola de racionalidade econômica e lutando contra um sistema que só visa o lucro e nada mais.
This dissertation draws the critical analysis of the construction of the agroecology role discurse in the agrarian program of the MST (“Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra”, an acronym that means “Landless Rural Workers Movement” in english), in its socio-environmental aspect, using as a method the dialectical historical materialism and, as category of analysis, the metabolism human being / nature. For the development of the dissertation, a literature review was carried out on the Brazilian agrarian question of the XXI century, focusing on understanding the breakdown of the metabolism between human being and nature, in order to contextualize the reality in which the MST is inserted and about what it fights for. Subsequently, a literature review was elaborated on the theoretical foundations of agroecology, with the aim of drawing the theoretical basis on science, since the MST was based on these. After all, an analysis of MST public discourse was carried out in the published documents in the light of the theoretical authors who study agroecology in order to reveal how MST relates agroecology to the proposal of social transformation and to the principles of environmental sustainability. In addition, this dissertation intends to analyze what elements brought by the theoretical authors were reaffirmed or denied by MST in the construction of agroecology in its political program. The results of the analysis reveal that the MST brings the construction of an agroecology beyond a concept or sustainable practices, transcending the defense of an academic, institutional, and reformist agroecology. That is, it brings the agroecology as a strategy for the model of agriculture operation proposed by the movement, which is based on social transformation for the people and on environmentally sustainable basis. Therefore, the role of agroecology, according to the MST, goes against the reality posed by the contradictions produced by (and inherent to) the capitalist mode of production, a model of agricultural production of economic and social rationality, a system that only aims at profit and nothing else.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6864
Aparece nas coleções:PPGPS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11364_Thais Ricarte Neves.pdf689.77 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.