Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6875
Título: Reflexividade Moral: A Relação entre Consciência Reflexiva e Ações Morais.
Autor(es): MOREIRA, L. V.
Orientador: SOUZA, M. L.
Palavras-chave: reflexividade
ação moral
consciência reflexiva


Data do documento: 28-Mai-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MOREIRA, L. V., Reflexividade Moral: A Relação entre Consciência Reflexiva e Ações Morais.
Resumo: Fruto de evoluídos mecanismos de aprendizagem social, o monitoramento dos padrões sociais adequados a uma pessoa compõe a essência daquilo que a faz ser quem é. Esta dissertação teve como objetivo investigar a intrincada relação entre reflexividade e moralidade. Foi realizada uma pesquisa em formato virtual, devidamente aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Participou da pesquisa um total de 721 indivíduos adultos brasileiros. Os resultados encontrados são apresentados e discutidos em três artigos. O Artigo 1, intitulado Análise fatorial confirmatória e validação de uma versão brasileira do Questionário de Fundamentos Morais (QFM), teve como objetivo adaptar e validar o QMF para o contexto brasileiro. Para tanto, foram realizados dois estudos quantitativos, em que os dados foram submetidos à análise estatística fatorial exploratória e confirmatória. Embora fosse esperada uma estrutura com cinco fatores, os dois fatores encontrados apresentaram características psicométricas satisfatórias, aproximando-se do modelo hierárquico. O Artigo 2, intitulado Autoconsciência, autoconceito moral e empatia como preditores de preocupações morais, correlacionou escalas de autoconsciência, empatia e autoconceito moral ao QFM, em que os dados foram submetidos a análises de correlação e regressão. Os resultados indicaram que a forma como os indivíduos se importam com os outros e com os grupos em que se inserem parece estar fortemente relacionado ao conceito moral que se tem de si e às emoções que se é capaz de processar nas situações cotidianas que envolvem questões morais. A oposição encontrada entre intuição moral e processos metacognitivos, apoia evidências para a teoria dos fundamentos morais, na qual o QFM se baseia. O Artigo 3, intitulado Reflexividade sobre ações morais: um estudo fenomenológico-semiótico, seguiu uma metodologia qualitativa, conforme os critérios da fenomenologia-semiótica. O fenômeno da reflexividade moral apresentou qualidades comuns com outros fenômenos psicológicos, como ser mediado por processos implícitos e explícitos e modulado por sentimentos, podendo ser regido por um controle interno ou externo. Além disso, revelou-se como um fenômeno capaz de gerar dissonâncias cognitivas, por um lado, e sentidos pessoais para o agir moral, por outro lado. No geral, conclui-se que a reflexividade pode exercer influência tanto sobre julgamentos intuitivos quanto sobre ações morais, por outro lado, uma ação intencional é capaz de exercer influência sobre os julgamentos intuitivos, sobre a reflexividade e sobre o próprio self, principalmente se esta possuir conteúdo moral (ou transgressor). Palavras-chave: Reflexividade, intuição, julgamentos intuitivos, julgamentos morais, ação moral.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6875
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7569_Disserta__o de Mestrado - Luana Vianez Moreira.pdf719.14 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.