Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6876
Título: Tornar-se filho na perspectiva de crianças adotadas tardiamente
Autor(es): Araujo, Ivy Campista Campanha de
Orientador: Nascimento, Célia Regina Rangel
Palavras-chave: Adoção tardia
Família
Crianças
Filiação
Data do documento: 29-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ARAUJO, Ivy Campista Campanha de. Tornar-se filho na perspectiva de crianças adotada tardiamente. 2017. 191 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais ARAUJO, Ivy Campista Campanha de. Tornar-se filho na perspectiva de crianças adotada tardiamente. 2017. 191 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais ARAUJO, Ivy Campista Campanha de. Tornar-se filho na perspectiva de crianças adotada tardiamente. 2017. 191 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais.
Resumo: Apesar da importância da reciprocidade na construção da vinculação entre pais e filhos, a adoção tardia ainda é realizada no Brasil priorizando o discurso do adulto, de forma que os sentimentos e desejos da criança geralmente ficam em segundo plano num processo adotivo. Além do exposto, verifica-se que a prevalente busca por adoção de crianças de tenra idade revela receios dos postulantes em adotar crianças maiores, sendo um dos argumentos o fato de que a criança maior já viveu uma história com sua família pregressa e que essa vivência poderia dificultar a vinculação na nova família. Diante dessas considerações, o trabalho aqui apresentado teve como objetivo investigar aspectos facilitadores e desafiadores no estabelecimento da filiação em uma família que realizou uma adoção tardia, privilegiando a perspectiva das crianças sobre a interação com a nova família. A pesquisa elegeu como participantes uma família composta por um casal, um homem e uma mulher, na faixa etária dos 40 anos, que realizou uma adoção tardia de um grupo composto por quatro irmãos. Participaram da pesquisa o casal e as três crianças mais velhas, que tinham idades de cinco, oito e dez anos. Como procedimentos de coleta de dados foram realizados seis encontros na casa da família, momentos nos quais foram realizadas entrevistas com roteiros semiestruturados, elaboração do genograma e observação ao longo dos procedimentos com registro em diário de campo. Verificou-se que, apesar dos pais terem descrito desafios ao longo da adaptação, como reorganização da rotina familiar e conjugal, insatisfações com as divisões de tarefas do casal por parte da mãe, necessidade de maior investimento nas duas crianças mais velhas em relação à aprendizagem escolar e atendimento às demandas de quatro crianças de uma vez, estes não se converteram em dificuldades no estabelecimento da filiação. As intervenções realizadas revelaram que a adoção era recíproca e estava em curso, constatando-se que tanto as crianças quanto os pais estavam vivenciando as emoções de um vínculo filial/parental. As crianças relataram cenas cotidianas que ilustravam o sentimento de que se sentiam cuidadas, corrigidas e amparadas pelos pais, destacando maior convivência no dia a dia com a mãe. Os processos proximais com objetos e símbolos, presentes no microssistema familiar das três crianças, também favoreceram o desenvolvimento do seu sentimento de pertencimento e filiação na família, pois tanto chamaram a atenção para o seu lugar nesse novo ambiente quanto explicitaram a preocupação e o afeto dos membros da família para com elas. Conclui-se que a pesquisa possibilitou a ampliação de informações a respeito da adoção tardia, contribuindo para o conhecimento sobre o tema. Destacou-se ainda que políticas de acompanhamento pós-adoção poderiam auxiliar a vivência dos desafios apresentados por famílias que realizam a adoção tardia, especialmente no caso de adoção de grupos de irmãos.
In spite of the importance of reciprocity in the creation of a bond between parents and their respective children, late adoption goes on with the prioritization of the adult’s discourse in Brazil; in a way that the feelings and the wants of the infant are usually put on the background of the adoption process. Besides what is hereby stated, it is noticeable that the ongoing search for adoption of tender-aged children reveals the petitioners’ apprehensions on adopting older children. One of the arguments to defend these concerns is the fact that bigger children carry a history from their previous family, and that this experience could hinder the bonding process in the new family. Facing these considerations, this presented work has as an objective the investigation of facilitating and challenging aspects on the filial process constitution in a family that resorted to a late adoption, privileging the children’s perspective on the new family interaction. The family elected by this research is compound by a couple, a man and a woman at the age group of forty years old, who took part of the late adoption process of a group of four siblings. The three oldest children, of ages five, eight and ten, were involved in the research along with the couple. Six meetings took place in the family’s house in the aims of data collection; these moments relied on interviews with semi-structured scripts, genogram elaboration and observation throughout procedures along with the registration on the field journal. Parents have described challenges on the adaptation process: family and marital routine reorganization, dissatisfactions with couple’s tasks division on the mother’s side, need to make bigger investments on the two oldest children when it comes to school learning and meeting the demands of the four children at once. However, none of these comes across as a difficulty on the process of becoming a son/daughter. The executed interventions reveal that the adoption was mutual and ongoing, being that both the children and the parents were experiencing the emotions of a parental/filial bond. The children mentioned daily scenes illustrating the feeling of being taken care of, corrected and supported by the parents, highlighting more familiarity towards the mother. The proximal processes using objects and symbols, all present on the three children’s familiar microsystem, also favored the development of their feeling of belonging and filiation to the family, for they both called the attention for their place in this new environment and reinforced the preoccupation and the affection towards them and from the members of the family. It is possible to reckon that the research brings the expansion of information on late adoption, contributing for the knowledge about the topic. In addition, it was made clear that the policies of post-adoption monitoring could help the experience of challenges presented by families that resort to late adoption, especially in the case of those who adopt a group of siblings.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6876
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9848_14.12.17 PDF VERSAO CAPA DURA FINAL.pdf2.01 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.