Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6928
Título: Compostos bioativos, atividade antioxidante e antiproliferativa de duas cultivares do café arábica (Coffea arabica L.)
Autor(es): XAVIER, M. B.
Orientador: BATITUCCI, M. C. P.
Data do documento: 20-Dez-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: XAVIER, M. B., Compostos bioativos, atividade antioxidante e antiproliferativa de duas cultivares do café arábica (Coffea arabica L.)
Resumo: RESUMO O café é a segunda bebida mais consumida no mundo e tem o Brasil como o principal produtor e exportador em nível mundial. O Espírito Santo é o segundo maior produtor de café do país e grande parte de sua economia é voltada para o comércio deste fruto. O café arábica é o que possui maior valor comercial e por isso, é a espécie mais exportada atualmente. Além de sua validade comercial, o café também é conhecido por possuir propriedades farmacológicas, que são reforçados pelos relados da presença de constituintes fitoquímicos com atividade antioxidante. Com base nisto, o presente estudo avaliou os extratos etanólicos de dois cultivares de café arábica, Catuaí vermelho IAC 99 e Catucaí amarelo 2SL , em diferentes níveis de processamento pós-colheita de forma a quantifica Trigonelina e Ácido clorogênico, por CLAE; verificar o teor de Taninos e Flavonoides totais, por teste colorimético; analisar a atividade antiproliferativa pelo método do MTT, com células saúdáveis (Linfócitos humanos) e tumorais (Sarcoma 180), e, também, avaliar a atividade antioxidante dos extratos por meio de quatro diferentes métodos: ABTS·+, DPPH e FRAP e atividade quelante do ferro (Fe2+),de maneira a identificar o extrato com melhor desempenho, a fim de orientar a melhor condição para consumo e demonstrar as possíveis influências do seu processamento sobre suas características fitoquímicas . Os resultados sugerem que a amostra Catucaí amarelo 2SL (CASP)possui a melhor atividade antioxidante entre todas as amostras avaliadas, mas de modo geral, as amostras secas e piladas apresentaram o melhor desempenho, sugerindo ser a melhor forma de uso do café, no que se refere ao aproveitamento máximo de seus compostos bioativos. No caso dessas amostras, o composto mais correlacionado com a atividade antioxidante foi o tanino, entretanto, não se pode descartar a ação dos outros compostos aqui avaliados Os processos de torra se mostraram prejudiciais para a qualidade da bebida, no que tange à disponibilidade de compostos bioativos, os dois níveis de torra determinaram perdas sucessivas de compostos bioativos e, consequentemente, da atividade antioxidante, não corroborando com muitos estudos que mostram o aumento desta atividade após uma torra branda. Os testes do MTT em células saudáveis indicaram que as amostras atuaram como mitógenos para todas as amostras, entretanto a amostra Catuaí vermelho cereja imaturo (CVCI) obteve o maior percentual de atividade proliferativa, não sendo possível atestar o responsável por este efeito. As células tumorais obtiveram resposta positiva quanto à morte celular, porém não se pode atestar que o café (ao menos os aqui testados) são eficientes para matar células tumorais, mostra-se necessário um ensaio em diferentes linhagens. Palavras-chave: Café arábica CLAE antioxidante atividade antiproliferativa
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6928
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11535_Mirieli_DISSERTA__O mestrado final_correta.pdf1.97 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.