Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/6955
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorBERTOLLO, R. M.
dc.date.accessioned2018-03-22T16:00:35Z-
dc.date.available2018-02-21
dc.date.available2018-03-22T16:00:35Z-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, F. L. M., Avaliação de Efeito Terapêutico do Laser de Baixa Potência de AsGaAl no Pós-operatório de Cirurgias de Terceiros Molares Inferiorespor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/6955-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleAvaliação de Efeito Terapêutico do Laser de Baixa Potência de AsGaAl no Pós-operatório de Cirurgias de Terceiros Molares Inferiorespor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberVENANCIO, M. A. A. S.
dc.contributor.memberROSETTI, E. P.
dcterms.abstractO objetivo desta pesquisa é avaliar a eficácia do Laser de Baixa Potência (LBP) de Arsenieto de Gálio e Alumínio (AsGaAl) na redução da dor e no restabelecimento da abertura de boca quando utilizado no pós-operatório de pacientes submetidos à remoção cirúrgica de terceiros molares inferiores. A amostra foi constituída por 22 pacientes entre 18 e 35 anos que fizeram parte tanto do grupo laser (G1) como do grupo controle (G2). Os indivíduos foram submetidos à cirurgia de exodontia dos elementos 38 e 48 em dias distintos e a aplicação do LBP e do placebo seguiu-se de acordo com o protocolo pré-estabelecido de aplicação imediata, 24 e 48 h após o procedimento cirúrgico no G1 e no G2, respectivamente. Os pacientes receberam, enquanto grupo laser, 4 J / cm² de densidade de energia do LBP de AsGaAl, comprimento de onda 808 nm, por períodos de 30 e 40 s intra e extraoral, respectivamente. A dor pós-operatória foi mensurada por meio de uma escala visual analógica (EVA) preenchida ao término da cirurgia (ao final do efeito da anestesia), 24 e 48 h após a cirurgia. A abertura bucal foi medida com paquímetro digital itutoyo®), previamente à cirurgia e 24 e 48 h após o procedimento cirúrgico. Para a análise estatística, utilizaram-se os testes não paramétricos de Friedman e de Wilcoxon na percepção da dor e os testes paramétricos ANOVA e t de Student na avaliação da abertura de boca. Os resultados obtidos identificaram diferença estatística significativa na percepção da dor, sendo esta menor em todos os períodos de tempo no grupo laser em relação ao grupo placebo, enquanto não foi verificada diferença estatística associada ao restabelecimento da abertura de boca. Portanto, concluímos que com a metodologia utilizada o laser AsGaAl, no protocolo terapêutico proposto, foi eficaz na redução da dor.por
dcterms.creatorOLIVEIRA, F. L. M.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-10-27
dcterms.subjectLaserpor
dcterms.subjectTerapia a Laserpor
dcterms.subjectTerapia a Laser de Baixa Intensidadepor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Clínica Odontológicapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Clinica Odontológicapor
Aparece nas coleções:PPGCO - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11488_Disserta__o de Mestrado Fl_via Lamanna 19-12-2017.pdf920.75 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.