Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7097
Título: DESENVOLVIMENTO DE ARCABOUÇO CARDÍACO DERIVADO DE ÓRGÃO DESCELULARIZADO
Autor(es): SILVA, F. M.
Orientador: NOGUEIRA, B. V.
Palavras-chave: Coração
Descelularização
Matriz Extracelular
Microscopia
Data do documento: 12-Mai-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, F. M., DESENVOLVIMENTO DE ARCABOUÇO CARDÍACO DERIVADO DE ÓRGÃO DESCELULARIZADO
Resumo: A doença cardíaca é considerada maior causa de morte no mundo e muitos pacientes tem como única forma de tratamento o transplantes do órgão. A bioengenharia tecidual veio como forma de auxiliar no problema de escassez de órgãos para doação, utilizando de técnicas que consistem em retirar as células do órgão mantendo os componentes da Matriz Extracelular (MEC) e recelularizar com células do próprio paciente, portanto reduzindo a concentração de moléculas imunologicamente ativas. Todos os agentes usados em descelularização alteram a composição e causam algum dano a ultraestrutura. O objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de arcabouço cardíaco derivado de matriz extracelular (MEC) descelularizada com uso de dois agentes e com tempo de exposição reduzidos. Como modelo experimental foram utilizados 14 ratos Wistar, machos, com idade de dois meses pesando em média 330g. Após anestesia (Ketamina/Xilazina 90mg/Kg/10 mg/Kg), os animais tiverem seu tórax aberto e retirado o coração. O órgão foi canulado e perfundido através da aorta ascendente inicialmente com PBS, seguidos por perfusão com detergentes SDS 1% e Triton X-100 1%. Foram utilizadas técnicas de microscopia óptica onde as mostras após processadas foram coradas com hematoxilina e eosina (H&E), Picrosírius e marcadas com anticorpos para laminina e fibronectina. Para microscopia eletrônica de transmissão e microscopia eletrônica de varredura as amostras após processadas foram obtidas imagens em seus respectivos microscópios. A quantificação de DNA foi feita através de kit DNeasy e as amostras entre os grupos foram consideradas significativas quando p<0,05, utilizando teste t de Student. Foi encontrada ausência de células nos arcabouços descelularizados, observada por microscopia óptica e a manutenção da estrutura do arcabouço da MEC foi visualizada macroscopicamente e microscopicamente onde foi revelada alteração na microestrutura. Os principais componentes da MEC se mantiveram no arcabouço descelularizado e a concentração de DNA teve uma redução de 87,04% comparando os grupos controle e descelularizado. Com uso de apenas dois agentes e a redução do tempo de exposição o processo se manteve eficaz na retirada de células, melhor preservação dos componentes da MEC, podendo utilizar os arcabouços para recelularização.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7097
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10064_Dissertação_Flávia Medina da Silva.pdf769.82 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.