Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7104
Título: Potencial Prognóstico da Survivina em Carcinoma Epidermóide da Cavidade Bucal
Autor(es): PANSINI, P. F.
Orientador: ZEIDLER, S. L. V. V.
Palavras-chave: Survivina
Imunohistoquímica
Tissue Microarray
Carcinoma
Data do documento: 15-Fev-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PANSINI, P. F., Potencial Prognóstico da Survivina em Carcinoma Epidermóide da Cavidade Bucal
Resumo: O carcinoma epidermóide de cabeça e pescoço (CECP) é o sexto tipo de câncer mais comum em todo o mundo. Nos últimos anos, tem sido sugerida a participação da survivina na progressão tumoral em CECP. Este estudo teve como objetivo avaliar a survivina como potencial biomarcador de progressão tumoral em CECB. Foram utilizados no estudo dados clínicos e amostras biológicas de 115 indivíduos com carcinoma epidermóide da cavidade bucal. Lâminas contendo tecidos tumorais coradas pelo método hematoxilina e eosina foram usadas para as análises histopatológicas para avaliar o infiltrado linfocitário tumoral, padrão de invasão tumoral, gradação tumoral, invasão vascular, linfática e perineural. Tissue Microarrays foram construídos para realizar a análise imunohistoquímica da expressão da proteína survivina utilizando o anticorpo primário monoclonal de coelho anti-survivina. Para avaliar as associações entre as variáveis estudadas foram utilizados os testes Qui-Quadrado e o Exato de Fisher. A comparação das médias dos segmentos foi obtida pelo teste T de amostras independentes. As curvas de sobrevida foram calculadas pelo modelo de Kaplan-Meier e confirmadas pelo modelo multivariado de Cox. Nossos resultados mostraram existir correlação entre o infiltrado linfocitário tumoral alto, tamanho do tumor primário T1/T2 (p = 0,001) e estadiamento clínico I e II (p = 0,005). O padrão de invasão tumoral tipo IV foi correlacionado com o tamanho do tumor primário T3/T4 (p = 0,006) e estadiamento clínico avançado (estádio III e IV) (p = 0,028). Invasão perineural foi associada com o tamanho do tumor primário T1/T2 (p = 0,035). A expressão nuclear da survivina na porção mediana do tumor mostrou associação com a metástase em linfonodos regionais (p = 0,004) e o estadiamento clínico (p = 0,041). A análise regressiva multivariada confirmou que as variáveis tamanho do tumor primário (p = 0,004) e acometimento linfonodal (p= 0,06) são fatores prognósticos independentes para sobrevida global, enquanto o etilismo influencia na sobrevida livre de doença (p = 0,048). Com este estudo pode-se concluir que a elevada expressão da survivina está correlacionada com o comportamento tumoral mais agressivo, estadiamento clínico avançado, presença de mestástase linfonodal, podendo ser considerada como indicador de prognóstico em pacientes com CECB. A variável histopatológica padrão de invasão tumoral mostrou que sua correlação com tamanho do tumor primário e estadiamento clínico avançado podendo estar relacionada ao pior prognóstico dos pacientes em CECB.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7104
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10831_122ª Ata de Defesa - Paola Fernandes Pansini.PDF76 BAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.