Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7118
Título: DESENVOLVIMENTO de um Processo de Limpeza Clonal de Abacaxizeiro para Pineapple Mealybug Wilt Associated Virus (pmwav) Com o Uso da Hidrotermoterapia
Autor(es): LOPEZ, K. J. A.
Orientador: FERNANDES, A. A. R.
Coorientador: VENTURA, J. A.
Palavras-chave: Ananas comosus var
comosus
murcha
termoterapia
indexação
Data do documento: 28-Mar-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LOPEZ, K. J. A., DESENVOLVIMENTO de um Processo de Limpeza Clonal de Abacaxizeiro para Pineapple Mealybug Wilt Associated Virus (pmwav) Com o Uso da Hidrotermoterapia
Resumo: A murcha do abacaxizeiro é uma doença de elevada importância econômica que ocorre em todas as regiões produtoras de abacaxi no mundo. A doença é causada pela associação do complexo de vírus Pineapple mealybug wilt associated virus (PMWaV-1, PMWaV-2 e PMWaV-3) e a cochonilha Dysmicoccus brevipes. No Brasil, a doença tem sido associada à presença do PMWaV-2 e, os métodos de controle não tem sido efetivos no controle das plantas infectadas. Neste estudo, foi desenvolvida uma metodologia de limpeza clonal do PMWaV-2 com o uso da hidrotermoterapia (48°C, 50°C, 52°C) por 10, 20 e 30 min e 54°C, 56°C, 58°C e 60°C por 10, 20, 30, 40 e 50 minutos, em mudas do tipo filhote de abacaxizeiros cv. Pérola. Foi determinada a viabilidade dos tecidos das mudas com diferentes concentrações do tetrazólio (0,01%, 0,05%, 0,075%, 0,1%, 0,5% e 1%), sendo selecionadas como melhores a 0,075% e 0,05%. Com o tratamento hidrotérmico, foi possível obter mudas viáveis com temperaturas de 54°C a 58°C por até 50 minutos e de 60 °C por até 30 minutos de tratamento. A sobrevivência das mudas diminui drasticamente quando expostas a temperaturas de 60°C por mais de 30 min. A indexação das mudas pela análise molecular por RT-PCR mostrou a presença do PMWaV-2 nas mudas controle não submetidas aos tratamentos hidrotérmicos. No tratamento de 56°C por 30 minutos, observou-se que em uma amostra de folha e três amostras de raiz estavam sem a presença do PMWaV-2. No entanto, no tecido foliar das mudas submetidas a 54°C, 58°C e 60°C por 30 minutos, 54°C/ 40 min, 56°C/ 40 e 50 min e 60°C por 10, 20 e 30 minutos foi detectado o vírus. Pelo método proposto verificou-se que foi possível obter mudas de abacaxi cv. Pérola, livres do PMWaV-2 mediante tratamento hidrotérmico a 56°C por 30 minutos. Estes resultados mostram que a hidrotermoterapia poderá se tornar um método viável e econômico para a limpeza de material propagativo a ser incorporado nas estratégias de controle da murcha causada pelo PMWaV.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7118
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12059_Dissertação_Kellyn Joselyn Andino Lopes.pdf953.35 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.