Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7122
Título: SÍNTESE e Caracterização Físico-química de Nanopartículas de Ouro Usando Epigalocatequina-3-galato (egcg)
Autor(es): SCHUENCK, G. P. D.
Orientador: GUIMARAES, M. C. C.
Palavras-chave: Nanopartículas de ouro
EGCG
Epigalocatequina-3-galato
Data do documento: 19-Abr-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SCHUENCK, G. P. D., SÍNTESE e Caracterização Físico-química de Nanopartículas de Ouro Usando Epigalocatequina-3-galato (egcg)
Resumo: As nanopartículas de ouro (AuNPs) tem se mostrado uma plataforma atraente para combinar uma variedade de propriedades biofisicoquímicas em um nanodispositivo unificado com grande potencial terapêutico. Neste estudo investigamos a capacidade do polifenol natural, epigalocatequina-3-galato (EGCG), de permitir a redução química de sais de ouro em nanopartículas de ouro e a estabilização em uma única etapa. As nanopartículas de ouro foram sintetizadas por oxirredução, com base em um Planejamento Fatorial Fracionado (triagem) e em seguida um Planejamento Composto Central (otimização) com o objetivo de determinar os pontos ótimos para a síntese. A caracterização do coloide sintetizado foi realizada com análises de UV-Vis, Infravermelho, Raman, Potencial Zeta, ICP-MS e Microscopia Eletrônica de Transmissão. Além disso, foi examinada a atividade citotóxica em modelo de macrófagos de camundongos. O pico de absorbância ocorreu em 533 nm e o diâmetro médio das nanopartículas foi de 14,54 nm. A nanoformulação apresentou boa estabilidade in vitro ao longo de mais de 6 meses e seu potencial zeta foi de -34,89 mV, sugerindo que o revestimento da EGCG previne a agregação. A análise de ICP-MS mostrou que a concentração de ouro reduzida com a síntese verde foi de 29,05 mg/L. Os dados obtidos pela espectroscopia do Infravermelho e Raman confirmaram a presença da EGCG nas nanopartículas de ouro. O coloide não apresentou efeito citotóxico para o modelo testado. A concentração inibitória referente a 50% de sobrevivência das células (IC50) para AuNPs-EGCG foi de 156,9 mg/L. Não foram utilizados produtos químicos, com exceção dos sais de ouro, neste processo verde de nanotecnologia biogênica, abrindo excelentes oportunidades para aplicações biomédicas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7122
Aparece nas coleções:PPGBIO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_12334_Dissertação_Gisele Pereira Diniz Schuenck.pdf
  Restricted Access
3.27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.