Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7163
Título: ENTEROBACTÉRIAS Resistentes aos Carbapenêmicos em dois Hospitais da Área Metropolitana de Vitória-ES e seus Fatores Associados
Autor(es): LAVAGNOLI, L. S.
Orientador: CERUTTI JUNIOR, C.
Palavras-chave: Enterobactérias
Resistência a antibióticos
fatores de risco
Data do documento: 31-Mai-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LAVAGNOLI, L. S., ENTEROBACTÉRIAS Resistentes aos Carbapenêmicos em dois Hospitais da Área Metropolitana de Vitória-ES e seus Fatores Associados
Resumo: Há relatos de Enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos (ERC) em todo o mundo, indicando que a disseminação da resistência se tornou um importante problema de saúde pública. Há necessidade de melhor compreensão sobre os aspectos envolvidos, incluindo os fatores de risco de infecção por esses microrganismos. O objetivo do presente estudo caso-controle exploratório foi identificar possíveis fatores de risco para a aquisição de cepas de Enterobactérias com marcador de resistência aos carbapenêmicos. A população do estudo constituiu-se de pacientes com amostra biológica positiva para ERC pela metodologia disco difusão e E-test e controles com amostra biológica negativa para ERC. Ao todo, 65 pacientes foram incluídos, 13 (20%) com ERC e 52 (80%) sem ERC. As ERC isoladas foram Serratia marcescens (6), Klebsiella pneumoniae (4) e Enterobacter cloacae (3). Análise univariada identificou tempo de internação até a coleta (p<0,001), tempo total de internação (p<0,001) e procedimento cirúrgico (p=0,004) com significância estatística. No modelo de regressão logística, tempo de internação até a coleta permaneceu com significância, resultando em odds ratio de 0,934 (IC 95%: 0,882 a 0,989). Procedimento cirúrgico teve significância limítrofe (p = 0,056; OR = 9,293; IC 95%: 0,946 a 91,255). Análise separada de uso de carbapenêmicos revelou significância estatística (p<0,001), entretanto, não se manteve na análise multivariada, que resultou em odds ratio de 0,91 (IC 95%: 0,752 a 47,63). O conhecimento dos fatores de risco associados a aquisição e a instituição de medidas preventivas pode contribuir decisivamente para a diminuição da propagação destes microorganismos no ambiente hospitalar.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7163
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9890_Dissertação Lílian Lavagnoli.pdf1.66 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.