Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7272
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMELLO, A. S.
dc.date.accessioned2018-08-01T21:36:31Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T21:36:31Z-
dc.identifier.citationJESUS, J. F., REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFESSORES SOBRE A INSERÇÃO/INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE SERRApor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7272-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleREPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFESSORES SOBRE A INSERÇÃO/INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL DE SERRApor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberFERREIRA NETO, A.
dcterms.abstractIdentifica e analisa as representações sociais de professores sobre a inserção/intervenção da Educação Física no contexto da Educação Infantil de Serra/ES. Trata-se de um estudo qualitativo, de caráter descritivo-interpretativo, que utilizou entrevistas semiestruturadas e de elite como fontes na produção dos dados. Foram realizadas entrevistas com 12 professores efetivos (amostra que corresponde a 60% da população total de docentes de Educação Física que atuam nesse nível de ensino) realizada no ano de 2012, e com a gerente de Educação Infantil do município, realizada no ano de 2013. Os dados foram interpretados pela Análise do Conteúdo, considerando o contexto sociointeracional em que foram produzidos. As representações sociais, geradas nas atividades comunicativas de diferentes comunidades discursivas, são estruturas psicológicas que os indivíduos utilizam para pensar ou agir em diferentes situações do cotidiano (MOSCOVICI, 2003). Elas correspondem a um saber prático, que os sujeitos mobilizam para lidar com a sua realidade. Os dados analisados evidenciam que a Educação Física foi inserida na Educação Infantil do município para atender a uma demanda legal, relacionada à necessidade de planejamento das professoras regentes. Parcela significativa dos professores foi para a Educação Infantil contra a própria vontade, como única alternativa para complementar a sua carga horária, gerando resistências e incompreensões acerca das especificidades das crianças e das instituições destinadas a sua educação. As perspectivas pedagógicas adotadas pelos professores não foram concebidas para esse nível de ensino ou estão ancoradas na ideia de criança como ser universal, com princípios fixos de desenvolvimento, divergindo da noção de sujeito histórico, preconizado pelas Diretrizes Curriculares da Educação Infantil (2013). A inserção da Educação Física no contexto pesquisado gerou algumas tensões, como as disputas por espaços físicos e profissionais e a incompreensão do papel do professor desse componente curricular nos CMEIs. Contudo, as experiências na Educação Infantil vêm contribuindo para a ressignificação das representações iniciais, favorecendo a construção de leituras positivas desse contexto de atuação docente.por
dcterms.creatorJESUS, J. F.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2014-06-30
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educação Físicapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Educação Físicapor
Aparece nas coleções:PPGEF - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7834_DISSERTAÇÃO CD JOÍSE F20150609-164030.pdf1.3 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.