Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7294
Título: "EFEITO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO DE PILATES SOLO SOBRE A CINEMÁTICA RESPIRATÓRIA"
Autor(es): CAMPOS, J. L.
Orientador: SARRO, K. J.
Palavras-chave: Respiração
Mobilidade Toracoabdominal
Pilates
Data do documento: 31-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CAMPOS, J. L., "EFEITO DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO DE PILATES SOLO SOBRE A CINEMÁTICA RESPIRATÓRIA"
Resumo: A respiração é um processo ativo que depende da ação dos músculos respiratórios para que ocorra a variação de pressão necessária para a entrada e saída de ar dos pulmões e o Pilates é uma modalidade de treinamento que tem como um dos seus princípios básicos o cuidado com a respiração durante a execução dos exercícios. Assim, este trabalho teve por objetivo verificar se a cinemática respiratória é alterada pela prática de Pilates solo. Para isso, foi realizada a análise cinemática tridimensional (antes e após 12 semanas) dos movimentos respiratórios de 35 mulheres saudáveis (21 no grupo Pilates e 14 no grupo controle) nas manobras de volume corrente e capacidade vital para obtenção da mobilidade do tórax superior, tórax inferior e abdome, assim como a contribuição dos compartimentos para a expansibilidade e a coordenação entre esses compartimentos antes e depois de 24 sessões de treinamento no método. A expansibilidade e a contribuição dos compartimentos foram avaliadas pelo range e a coordenação pelo ângulo de fase. Após o treinamento, tanto em volume corrente quanto em capacidade vital, houve aumento da expansibilidade da parede torácica e de todos os compartimentos e o tórax superior passou a ter uma contribuição para a expansão semelhante à do abdome. A coordenação entre o tórax inferior e abdome diminuiu na capacidade vital após o treinamento. Na segunda avaliação, o grupo controle apresentou aumento na expansibilidade do tórax superior na capacidade vital e nenhuma alteração no ângulo de fase, e os resultados do percentual de contribuição se mantiveram os mesmos: uma maior contribuição do abdome para o volume corrente e do tórax superior e abdome para a capacidade vital. A prática de Pilates proporciona uma melhor ativação da musculatura responsável pela expansibilidade da parede torácica na respiração em repouso e máxima. Uma melhor ativação dos músculos acessórios que atuam na inspiração, em especial no tórax superior, podem explicar o fato do tórax superior e abdome contribuírem igualmente para a expansibilidade da parede torácica após o treinamento com Pilates. Entretanto, a prática de Pilates parece não melhorar a coordenação entre os compartimentos em mulheres com baixos valores iniciais de ângulo de fase. Conclui-se que a prática de Pilates solo por 12 semanas melhora a expansibilidade da parede torácica, aumenta a contribuição do tórax superior para esta expansão e não promove melhora sobre a coordenação entre os compartimentos. Dessa forma, pode ser uma forma de atividade para a melhora ou manutenção da expansibilidade toracoabdominal satisfatória para uma boa mecânica respiratória.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7294
Aparece nas coleções:PPGEF - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9029_Dissertação_Jeniffer20160601-172737.pdf7.99 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.