Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7357
Título: Comparação de Ácidos Naftênicos Por Ressonância Magnética Nuclear e Outras Técnicas Analíticas
Autor(es): CORTI, M. M.
Orientador: CUNHA NETO, A.
Palavras-chave: Ácidos naftênicos
petróleo
naftenato de cálcio
RMN
Data do documento: 19-Mai-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CORTI, M. M., Comparação de Ácidos Naftênicos Por Ressonância Magnética Nuclear e Outras Técnicas Analíticas
Resumo: Os ácidos naftênicos são um grupo diverso de ácidos carboxílicos presentes no petróleo. A presença destes compostos no óleo é prejudicial para os equipamentos de refino, pois, de acordo com sua composição, podem causar corrosão, formação de emulsões e precipitados, gerando grande perda na produção. A corrosão no processamento de óleos está relacionada com o teor de compostos sulfurados no meio e também com o tipo de ácido presente, sendo estes de cadeias menores e com o hidrogênio ácido mais disponível para ataque. Já a formação de precipitados está ligada à transformação dos ácidos, geralmente de cadeias mais longas, em sais pouco solúveis, que se depositam nos dutos de transferência. Neste trabalho foi utilizada a técnica de RMN para diferenciar os tipos de ácidos naftênicos extraídos de óleo e de naftenatos de cálcio. Para as amostras extraídas de óleo foi observado um teor de aproximadamente 8% de hidrogênios aromáticos e 90% de alquílicos, dentre o último, a grande variedade entre os teores de Hα, Hβ e Hγ indica a variedade estrutural dos compostos presentes nestas amostras. Com o aumento do pH de extração é possível notar uma diminuição no teor de Hα e um aumento nos teores de Hβ e Hγ, indicando a maior complexidade das estruturas extraídas. Já para as amostras extraídas de naftenatos de cálcio, foi observado um teor de aproximadamente 5% de hidrogênios aromáticos e 95% de alquílicos, porém, para estas amostras não há grande variação entre as diferentes extrações, indicando que estes compostos apresentam composições semelhantes. Foi observado um teor mais elevado de Hβ, em relação aos Hα e Hγ, o que indica que estes compostos apresentam muitas ramificações próximas ao anel aromático, evidenciando uma estrutura com cadeia alquílica pronunciada, semelhante ao descrito na literatura para um ARN. Dessa forma, foi possível fazer a diferenciação entre estes tipos de amostras através da RMN, visto que os teores de hidrogênios aromáticos e alquílicos são característicos para cada tipo de ácido naftênico extraído de óleo ou de naftenato de cálcio.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7357
Aparece nas coleções:PPGQUI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9895_Mayara Modenesi Corti (1).pdf2.47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.