Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7444
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorTAKEUCHI, A. Y.
dc.date.accessioned2018-08-01T22:29:37Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T22:29:37Z-
dc.identifier.citationANDREZ, J. R., Propriedades estruturais e magnéticas das ligas Heusler Cu50Mn 50-xInx.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7444-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titlePropriedades estruturais e magnéticas das ligas Heusler Cu50Mn 50-xInx.por
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberV. P. Nascimento
dc.contributor.memberW. L. Scopel
dc.contributor.memberGARCIA, F.
dcterms.abstractNeste trabalho foram investigadas as propriedades magneto-estruturais das ligas Heusler tipo Cu50Mn(50-x)Inx, com x = 10, 14, 15, 16, 18, 20, 22,5 e 25. Para a realização deste estudo, as amostras foram preparadas por fusão a arco voltaico e posteriormente tratadas termicamente por 4 dias à 835 K em um tubo de quartzo em vácuo. Difratometria de raios-X (DRX), realizadas à temperatura ambiente, foi utilizado para determinar a estrutura cristalina das amostras. As propriedades magnéticas foram estudas através do VSM (Vibrating Sample Magnetometer) e um equipamento de análise termogravimétrica (TG-A), que foi adaptado com um ímã permanente para determinar transições magnéticas. Foi utilizado também um DSC (Differential scanning calorimetry) para obter informações de temperaturas de transição estrutural de primeira ordem. A partir do VSM, foram realizadas medidas de magnetização DC em função do campo aplicado [M(H)] e da temperatura [M(T)], enquanto que o TG-A foi utilizado para observar a dependência da temperatura crítica com a substituição de In por Mn e compara com os valores obtidos no VSM. Através dos difratogramas de raios-X, foi observado que as amostras com 10<x<16 se encontram com uma mistura de fases martensítica e austenítica (L21). Para o intervalo 18<x<25, as amostras se estabilizaram na estrutura L21. A partir das curvas M(T), é possível observar a redução de TC à medida que se substitui átomos de In por Mn no intervalo 18<x<25. Devido a presença de duas fases cristalinas para as concentração 14 < x < 16, foi observado duas transições magnéticas, associado com a fase martensítica e austenítica. Para a amostra com x = 10, apenas uma transição magnética é observada e esta associada com a fase martensítica, como pode ser observado através dos dados de DRX. Transições de primeira ordem não foram observadas nas medidas obtidas do DSC no intervalo de 300-600 K. As curvas M(H) obtidas para diferentes temperaturas e para campos máximos (uoh) de 5 T, onde se observou que todas as amostras possuem um comportamento de um material ferromagnético mole, com pequeno campo coercivo e baixo valor de campo aplicado para atingir a saturação da amostra.por
dcterms.creatorANDREZ, J. R.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2013-03-12
dcterms.subjectMateriais Magnéticospor
dcterms.subjectDifração de Raio Xpor
dcterms.subjectpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Físicapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Físicapor
Aparece nas coleções:PPGFIS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_6394_Dissertação Final Jhone Ramsay Andrez.pdf4.45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.