Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7475
Título: Extensão supersimétrica do modelo BF bisimensional e a quantização de laços
Autor(es): Bautista, Luis Ivan Morales
Orientador: Piguet, Olivier
Coorientador: Constantinidis, Clisthenis Ponce
Data do documento: 30-Mar-2012
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Um dos grandes desafios da física nos últimos cinquenta anos tem sido a conciliação da Mecânica Quântica com a Relatividade Geral, numa teoria Quântica da Gravitação. Teoria que até hoje não foi encontrada, de forma concreta, devido a sua complexidade, sobretudo quando tratamos sistemas gravitação-matéria, e a falta de tecnologias que possam nos dar evidências experimentais. Mas, existem muitos modelos teóricos que procuram explicar esta teoria, entre os quais temos a Gravitação Quântica de Laços. Para entender e simplificar as dificuldades teoricas da Gravitação Quântica de Laços em 3+1 dimensões, estudamos modelos de dimensões mais baixas. Partindo do modelo topológico BF, discutimos nesta tese sistemas gravitação-matéria do espaço-tempo bidimensional, a través de extensões supersimétricas N = 1. Discutimos dois modelos: 1.) Num primeiro modelo, o grupo de calibre da teoria é dado pelo supergrupo super (anti-)de Sitter, S(A)dS, que é a extensão supersimétrica N = 1 do grupo de calibre (A)dS, a qual possue três geradores bosônicos e dois geradores fermiônicos. 2.) No segundo modelo acoplamos matéria, sendo guiados pela existência de uma supersimétria rígida (estudamos especificamente a gravitação num espaço Riemanniano com constante cosmológica positiva), onde os campos do modelo BF usual são expressos em termos de supercampos, como grupo de calibre sendo uma “supersimetrização” de SU(2). Neste caso particular quantizamos o modelo extendendo as técnicas usadas na Gravitação Quântica de Laços. Em ambos casos, discutimos a estrutura canônica do modelo, mostramos que a Hamiltoniana do modelo é completamente vinculada, bem como construimos quantidades invariantes de calibre (observáveis de Dirac)
One of the main challenges in theoretical physics over the last fifty years has been to reconcile Quantum Mechanics with General Relativity into a theory of Quantum Gravity. Theory that has not yet been found, in a concrete way, due to its complexity, specially when we deal with gravity-matter systems, and lack of technologies that may give us experimental evidences. But, there are many theoretical models which try to explain this theory, among of them we have Loop Quantum Gravity. In order to understand and simplify the difficulties of of Loop Quantum Gravity theory in 3 +1 dimensions, we study models in lower dimensions. Starting from a topological BF model, discussed in this thesis gravity-matter systems of two-dimensional space-time, by means of supersymmetric extensions N = 1. We discuss two models: 1.) In the first model, the gauge group of the theory is given by the super-(anti-) de Sitter, S(A)dS, supergroup, that is a supersymmetric extension N = 1 of the (A)dS gauge group, which have three bosonic generator and two fermionic generators. 2.) In the second model, we couple topological matter, being guided by the existence of a rigid supersymmetry (especifically we study the Euclidean gravity with positive cosmological constant), where the fields content is of the theory is expressed in terms of superfields, with the gauge group being a "supersymmetrization"of SU(2). In this particular case we quantize the model by extending techniques well used in Loop Quantum Gravity. In both cases, we discuss the canonical structure of the model, we show that the Hamiltonian of the theory is completely constrained, we also construct gauge invariant quantities (Dirac observables)
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7475
Aparece nas coleções:PPGFIS - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6066_.pdf1.75 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.