Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7567
Título: Resistência de porta-enxertos e híbridos de tomateiro à Ralstonia solanacearum
Autor(es): Busato, Laedio Magno
Orientador: Jesus Junior, Waldir Cintra de
Palavras-chave: Tomate
Murcha bacteriana
Enxertia
Manejo integrado
Data do documento: 22-Fev-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Diante da grande necessidade de desenvolvimento de técnicas que potencializem a produção de alimentos livres de produtos químicos para atender a grande pressão da sociedade mundial por alimentos mais saudáveis e devido ao aumento do uso de técnicas de enxertia, objetivou-se neste trabalho avaliar a resistencia de porta-enxertos e diferentes híbridos de tomate (Solanum lycopersicum L.) sobre Ralstonia solanacearum, agente causal da murcha bacteriana do tomateiro. O experimento foi realizado em casa de vegetação, com plantas cultivadas em vasos de 21 litros, com espaçamento de 0,55m x 1,0m e sistema de irrigação por gotejamento. Foram testados 12 tratamentos, oriundos da combinação com enxertia de 4 porta-enxertos (TSV2261, AV3-1509, Shincheonggang e Defensor) e de 3 híbridos comerciais (Fusion, Ivanhoé e BRS Imigrante), adicionados de 7 tratamentos contendo plantas não enxertadas dos genótipos em estudo, totalizando 19 tratamentos. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado dividido em dois grupos, ambos com 19 tratamentos, para avaliações de características distintas. O primeiro grupo foi inoculado com suspensão de inoculo contendo 6,0 x 107 UFC de R. solanacearum/mL, e avaliada a resistência dos tratamentos à murcha bacteriana. O segundo grupo não foi inoculado, de modo a se avaliar o potencial produtivo, o desenvolvimento vegetativo e o efeito proveniente da enxertia para cada material genético. Todos os híbridos testados foram suscetíveis à murcha bacteriana. Apenas o porta-enxerto TSV2261 apresentou resistência completa ao isolado de R. solanacearum utilizado nos testes. Para os porta-enxertos Defensor e Shincheonggang, houve variação no nível de resistência de acordo com o hibrido enxertado. Os porta-enxertos Defensor, AV3-1509, Shincheonggang e TSV2261 apresentaram produtividade inferior aos híbridos e aos tratamentos enxertados, o que permite inferir que sua utilização em áreas infestadas com R. solanacearum é viável quando enxertados com hibridos produtivos. Todos os híbridos apresentaram variação na quantidade (frutos/planta) e qualidade (peso e calibre diâmetro) dos frutos quando comparados testes puros com os tratamentos enxertados, sendo que os enxertados sobre Shincheonggang apresentaram maior porcentagem de frutos com maior diâmetro para todos os híbridos avaliados. Com base nos resultados obtidos pode-se concluir que a enxertia é uma alternativa viável e eficiente para o cultivo do tomateiro em solos infestados com R. solanacearum, porém a escolha dos materiais genéticos deve ser criteriosa para garantir o sucesso da técnica e da lavoura. Palavras-chave: tomate, murcha bacteriana, enxertia, manejo integrado.
Faced with the great need to develop techniques that potentiate the production of food free of chemicals to meet the great pressure of the world society for healthier foods and due to the increased use of grafting techniques in agricultural production, The objective of this study was to evaluate the feasibility of the use of rootstocks in Different tomato hibrids (Solanum lycopersicum L.) on Ralstonia solanacearum, causal agent of tomato bacterial wilt. The experiment was carried out in a greenhouse, with plants grown in 21-liter pots, spaced 0.55m x 1.0m and drip irrigation system. Were used 12 treatments, from the grafting combination of the four rootstocks and the three commercial hybrids, were tested in 7 treatments containing free plants of the genotypes under study, totaling 19 treatments. The experiment was conducted in a completely randomized design divided into two groups, both with 19 treatments, for evaluations of different characteristics. The first group was inoculated with inoculum suspension containing 6.0x10 7 UFC of R. solanacearum / mL and evaluated the resistance of the treatments to bacterial wilt. The second group isn’t inoculated for evaluated the production potential and the effect of grafting for treatments. All the hibryds testeds was suscetibles of bacterial wilt. Only the rootstock TSV 2261 showed complet resistance of isoled R. solanacearum utilized of testeds. For the rootstocks Defensor and Shincheonggang, There was variation in the resistance level according to the hybrid grafted. Defensor, AV3-1509, Shincheonggang and TSV2261 rootstocks showed lower productivity than hybrids and grafted treatments, the which allows to infer that its use in areas infested with R. solanacearum is feasible when grafted with productive genotypes. All hybrids presented variation in the number of fruits (fruit / plant) and quality (weight and diameter - diameter) of the fruits when compared to the free with the grafted treatments, and grains on Shincheonggang showed a higher percentage of fruits of larger diameter for all hybrids tested. Based on the results, it can be concluded that grafting is a viable and efficient alternative for the cultivation of tomato in R. solanacearum-infested soils, but the selection of the genetic materials should be judicious to guarantee the success of the technique and the crop
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7567
Aparece nas coleções:PPGPV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10479_Laedio Magno Busato20170518-73947.pdf605.21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.