Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7574
Título: Qualidade das uvas Niágara Rosada e Isabel em diferentes ambientes no Espírito Santo
Autor(es): MENEGHELLI, C. M.
Orientador: LIMA, J. S. S.
Data do documento: 22-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MENEGHELLI, C. M., Qualidade das uvas Niágara Rosada e Isabel em diferentes ambientes no Espírito Santo
Resumo: Objetivou-se com o presente estudo avaliar o comportamento vitícola das variedades de uva Niágara Rosada e Isabel (Vitis labrusca L.) em três diferentes altitudes no município de Santa Teresa-ES. Um diagnóstico nutricional das plantas dos parreirais foi realizado e a interpretação do estado nutricional foi feita com base no Sistema Integrado de Diagnose e Recomendação (DRIS). Na etapa de avaliação da qualidade das uvas Niágara Rosada e Isabel, realizada em laboratório, foi adotado um delineamento em blocos casualizados em esquema de parcelas subdivididas no espaço, sendo altitudes (parcelas) e as cultivares (subparcelas). Cada um dos tratamentos contou com 5 repetições. Em laboratório, nas bagas, foram determinados os seguintes atributos: teores de sólidos solúveis totais (SST), pH, acidez total titulável (ATT), relação entre SST/ATT e polifenóis totais. O monitoramento do teor de sólidos solúveis totais (SST) durante a maturação das videiras foi realizada semanalmente com auxílio de um refratômetro digital. Cada um dos tratamentos (três altitude e duas cultivares) contou com 10 repetições. Por fim, foi avaliada a variabilidade espacial do teor de sólidos solúveis totais (SST) em um parreiral de uva Isabel na altitude de 650m. Para esta análise construiu-se uma malha amostral regular, em coordenadas locais, totalizando 80 pontos amostrais. A amostragem dos sólidos solúveis totais (SST) das bagas foi realizada com auxílio de um refratômetro digital portátil ATAGO, determinado na parte superior, média e baixa das bagas. Os valores médios por pontos amostral de SST foram submetidos à análise geoestatística a fim de verificar a existência de dependência espacial por meio de ajuste de semivariograma. De um modo geral, observa-se que os níveis de macro e micronutrientes encontrados nos tecidos foliares das cultivares Niágara Rosada e Isabel encontram-se na faixa do ótimo e de ligeiro excesso. Já o DRIS demonstrou que os parreirais apresentavam, em geral, deficiência de zinco, enxofre e cobre e excesso de magnésio, boro, cálcio e ferro. A temperatura mais amena no ambiente 3 (650 m de altitude) contribuiu para menores valores STT e pH e maiores valores de acidez. No ambiente 1 (250 m de altitude), o excesso de nitrogênio contribui para os menores valores de STT e o pH para maiores valores de acidez. A temperatura mais elevada no ambiente 2 (500 m de altitude) contribui para o ganho de STT nas duas cultivares estudadas. O teor de sólidos solúveis apresenta dependência espacial com ajuste do semivariograma ao modelo esférico e gaussiano. A maior concentração de ºBrix encontra-se na parte mais baixa da área, enquanto os menores valores encontram-se na parte mais alta da área.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7574
Aparece nas coleções:PPGPV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11609_Caroline Merlo Meneghelli.pdf2.22 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.