Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7629
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPAES, J. B.
dc.date.accessioned2018-08-01T22:35:39Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T22:35:39Z-
dc.identifier.citationSOUSA, S. F., EFICIÊNCIA DOS ÓLEOS DE ANDIROBA, COPAÍBA E PINHÃO MANSO NA MELHORIA DA RESISTÊNCIA DA MADEIRA DE PINUS ELLIOTTII A ORGANISMOS XILÓFAGOSpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7629-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleEFICIÊNCIA DOS ÓLEOS DE ANDIROBA, COPAÍBA E PINHÃO MANSO NA MELHORIA DA RESISTÊNCIA DA MADEIRA DE PINUS ELLIOTTII A ORGANISMOS XILÓFAGOSpor
dc.typemasterThesisen
dcterms.abstractMuitos são os compostos empregados para aumentar a resistência natural da madeira. Produtos naturais estão sendo pesquisados, visando garantir a sustentabilidade do meio ambiente, a saúde humana, e diminuir a utilização de produtos tradicionais. O objetivo desta pesquisa foi avaliar a eficiência dos óleos de andiroba, copaíba e pinhão manso na resistência biológica da madeira de Pinus elliottii. Os óleos de andiroba e copaíba foram oriundos de comunidades do município de Santarém, Pará, e o óleo de pinhão-manso da Fazenda Tamanduá, município de Santa Terezinha, Paraíba. Foram determinadas as características físicas (pH, índice de acidez, viscosidade e densidade) dos óleos e realizados ensaios de toxidez em meio de cultura, resistência ao apodrecimento acelerado em laboratório (fungos de podridão parda e branca) e de resistência a fungos de podridão-mole e a cupins xilófagos. Para a avaliação da eficiência, os mesmos foram empregados puros e enriquecidos com iodo sublimado. Foram avaliados os efeitos da volatilização e lixiviação na eficiência das soluções contra os organismos citados. De modo geral, com o incremento de iodo nos óleos de andiroba e copaíba, houve o aumento da viscosidade e densidade, além de diminuir o pH. O incremento de iodo proporcionou maior eficiência dos óleos, sendo isto verificado pelas menores perdas de massa, exceto no ensaio de resistência a cupim de madeira seca, em que os óleos puros proporcionaram maiores resistências à madeira. Em todos os ensaios a testemunha (madeira não tratada) foi mais deteriorada. Notou-se que a volatilização e lixiviação influenciou negativamente a eficiência dos óleos em alguns tratamentos, nos ensaios realizados. Palavras-chave: durabilidade da madeira, produtos naturais, coníferas.por
dcterms.creatorSOUSA, S. F.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2016-07-11
dcterms.subject1por
dcterms.subjectMadeira Durabilidadepor
dcterms.subject2por
dcterms.subjectProdutos naturaispor
dcterms.subject3por
dcterms.subjectConíferapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Florestaispor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Florestaispor
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10001_Sara Freitas de Sousa 2016.pdf1.57 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.