Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7644
Título: ESTRUTURA, COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA E RELAÇÃO VEGETAÇÃO-AMBIENTE EM FLORESTA OMBRÓFILA DENSA NO PARQUE NACIONAL DO CAPARAÓ, ESPÍRITO SANTO
Autor(es): ARAUJO, E. A.
Orientador: KUNZ, S. H.
Coorientador: DIAS, H. M.
Palavras-chave: 1
Heterogeneidade ambiental
2
Floresta de altitude
3
Ri
Data do documento: 7-Nov-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ARAUJO, E. A., ESTRUTURA, COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA E RELAÇÃO VEGETAÇÃO-AMBIENTE EM FLORESTA OMBRÓFILA DENSA NO PARQUE NACIONAL DO CAPARAÓ, ESPÍRITO SANTO
Resumo: Variáveis ambientais são um dos principais promotores da grande riqueza de espécies nos trópicos, tendo em vista a característica heterogênea nessas regiões. Possivelmente o Brasil seja o país que abriga a maior riqueza de plantas do planeta, fato associado à ocorrência de várias fitofisionomias. Algumas regiões e determinados tipos de formação vegetacional são pouco explorados, levando a lacunas de conhecimento. Assim, as florestas localizadas em altitudes elevadas apresentam grande escassez de pesquisas florísticas. A insuficiência de estudos aliada à ocorrência de espécies endêmicas fazem com que seja comum a descoberta de novas espécies em ambientes montanos. Neste estudo tivemos como objetivo avaliar a estrutura e composição florística de uma comunidade vegetal em Floresta Ombrófila Densa no vale de Santa Marta, Ibitirama, ES, cuja área pertence ao Parque Nacional do Caparaó. Nossas hipóteses foram: 1) as espécies apresentam distribuição heterogênea no vale; 2) essa distribuição ocorre devido à influência de variáveis ambientais edáficas; 3) o local apresenta maior semelhança florística com as Florestas Ombrófila Densa Montana e Altomontana do sudeste do Brasil; e 4) a área possui espécies ainda desconhecidas pela ciência. Nossos resultados deram suporte a essas hipóteses. Verificamos que as espécies apresentam distribuição heterogênea ao longo do vale, sofrendo forte influência de variáveis edáficas (matéria orgânica e acidez potencial) e espaciais. O vale apresenta maior similaridade com florestas montanas e altomontanas da Serra do Mar e Mantiqueira localizadas em São Paulo e Minas Gerais. Demonstramos também a grande riqueza de espécies na área, com táxons em categorias de risco de extinção, além do registro de possíveis novas espécies. Palavras-chave: heterogeneidade ambiental, floresta de altitude, riqueza de espécies.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7644
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10375_Dissertação_Eduardo.pdf3.55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.