Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7647
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCALDEIRA, M.V.W.
dc.date.accessioned2018-08-01T22:35:43Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T22:35:43Z-
dc.identifier.citationCARRECO, R. L. B., CRESCIMENTO DE Plathymenia reticulata BENTH. SOB DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO, FÓSFORO E POTÁSSIO EM CONDIÇOES DE CAMPOpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7647-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleCRESCIMENTO DE Plathymenia reticulata BENTH. SOB DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO, FÓSFORO E POTÁSSIO EM CONDIÇOES DE CAMPOpor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberKLIPPEL, V. H.
dc.contributor.memberPAULA, R. R.
dc.contributor.memberGODINHO, T. O.
dcterms.abstractO efeito da fertilização no crescimento em campo de espécies florestais nativas é de fundamental importância, já que são escassas informações sobre a demanda nutricional para melhor desempenho dessas espécies. Objetivou-se, avaliar o efeito da fertilização, com aplicação de diferentes doses de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), na mortalidade, crescimento (altura e DAP), fertilidade do solo, serapilheira acumulada e conteúdo de nutrientes, e no estado nutricional das árvores de P. reticulata, três anos após o plantio, em Sooretama-ES. O delineamento experimental foi constituído por três blocos e 11 tratamentos (T1 = sem fertilização; T2 = 20 g cova-1 de N, 27 g cova-1 de P2O5, 20 g cova-1 de K2O; T3 = T2 + 20 g cova-1 de N; T4 = T2 + 40 g cova-1 de N; T5 = T2 + 60 g cova-1 de N; T6 = T2 + 20 g cova-1 de P2O5; T7 = T2 + 40 g cova-1 de P2O5; T8 = T2 + 60 g cova-1 de P2O5; T9 = T2 + 20 g cova-1 de K2O; T10 = T2 + 40 g cova-1 de K2O; T11 = T2 + 60 g cova-1 de K2O). O inventário florestal foi realizado três anos após o plantio em todas as parcelas experimentais úteis com a mensuração do diâmetro à altura do peito (DAP) e a altura total de todas as árvores, além da contagem de indivíduos mortos. Para a avaliação do estado nutricional das árvores, foram coletadas folhas, submetidas a análise química. Em cada uma das parcelas foram coletadas 10 amostras de serapilheira acumulada para estimar a biomassa total e determinação do teor e, posteriormente, do conteúdo de nutrientes. Nos mesmos locais coletou-se amostras simples de solo, para análise química. Não houve influência para as diferentes doses de nutrientes utilizados, para os dados de crescimento da espécie. Observou-se que quanto maior a dose de P utilizada, maior a mortalidade. As diferentes doses não interferiram no teor de macro e micronutrientes das folhas e nem na biomassa e no conteúdo de nutrientes da serapilheira acumulada. No solo observou-se, a redução nas concentrações dos atributos químicos analisados com o avanço da profundidade da coleta, e apenas K+ e Na+ tiveram diferenças entre os tratamentos, observada apenas na primeira camada analisada. De forma geral, as diferentes doses utilizadas no experimento não interferiram no plantio de P. reticulata, o que aponta que a espécie não é exigente em termos nutricionais. Palavras-chave: árvore nativa, Floresta Atlântica, serapilheira acumulada, variáveis dendrométricas, vinhático.por
dcterms.creatorCARRECO, R. L. B.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-02-14
dcterms.subject1por
dcterms.subjectÁrvores Nativapor
dcterms.subject2por
dcterms.subjectFloresta Atlânticapor
dcterms.subject3por
dcterms.subjectSerrapilheirapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Florestaispor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Florestaispor
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10568_Dissertação RAY 2017-Final.pdf1.09 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.