Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7654
Título: CHUVA DE SEMENTES EM FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL SUBMONTANA, ESPÍRITO SANTO
Autor(es): SANTOS, J. P. Q.
Orientador: KUNZ, S. H.
Palavras-chave: 1
Sementes Disperção
2
Regeneração natural
3
Biologia
Data do documento: 23-Fev-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SANTOS, J. P. Q., CHUVA DE SEMENTES EM FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL SUBMONTANA, ESPÍRITO SANTO
Resumo: Em ecossistemas florestais tropicais, estudos em relação aos aspectos ecológicos são conhecimentos imprescindíveis para conservação. Dentre esses aspectos ecológicos, destaca-se a importância da chuva de sementes, que é componente chave para compreensão da dinâmica das populações florestais. Nesse contexto, o presente estudo objetivou caracterizar a chuva de sementes de um fragmento florestal, correlacionando a dinâmica da deposição de sementes com a sazonalidade climática, a florística, a regeneração e com alguns atributos ecológicos das espécies, sendo eles: sistema sexual, síndrome de polinização e dispersão e tipo de fruto. A pesquisa foi realizada em um fragmento de Floresta Estacional Semidecidual Submontana, localizado na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Cafundó, pertencente ao município de Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo. As coletas da chuva de sementes ocorreram em 12 parcelas fixas durante abril/2013 a março/2016. Os três anos juntos totalizaram 28.482 propágulos, pertencentes a 102 morfoespécies e 28 famílias botânicas. Foi verificada variação na riqueza e na abundância intra-anual e interanual da chuva de sementes na RPPN-Cafundó. A chuva de sementes apresentou picos no período seco, prevalecendo as espécies anemocóricas e também no final do período chuvoso, no qual as espécies zoocóricas foram mais abundantes. A similaridade entre a florística arborea e a chuva de sementes foi baixa, mostrando que as espécies desse mecanismos podem ser provenientes de outras áreas. Quanto aos sistemas sexuais das espécies registradas na chuva de sementes, estes seguiram o padrão sugerido para florestas tropicais, com 71% de espécies hermafroditas, 16% dioicas e 13% monoicas. Os dados encontrados ao longo do estudo contribuem para compreensão de como manter a biodiversidade de um ambiente florestal. Palavras-chave: síndromes de dispersão, regeneração natural, sistemas sexuais, Reserva Particular do Patrimônio Natural Cafundó.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7654
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10578_Dissertação JAQUELINE PÊGO 2017-Final.pdf1.19 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.