Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7672
Título: POTENCIAL ENERGÉTICO DA MADEIRA E CARVÃO VEGETAL DE ANGICO VERMELHO (Anadenanthera peregrina) JOVEM
Autor(es): SOUZA, C. O.
Orientador: VIDAURRE, G. B.
Coorientador: ARANTES, M. D. C.
GONCALVES, F. G.
Palavras-chave: 1
Carvão vegetal
2
Madeira
3
Angico-de-caroço
Data do documento: 26-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SOUZA, C. O., POTENCIAL ENERGÉTICO DA MADEIRA E CARVÃO VEGETAL DE ANGICO VERMELHO (Anadenanthera peregrina) JOVEM
Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial energético da madeira e do carvão vegetal da espécie Anadenanthera peregrina proveniente de plantio experimental, plantadas em cinco espaçamentos e carbonizadas em duas marchas com diferentes taxas de aquecimento. Para isso, foram avaliadas três árvores, com 56 meses de idade, por cada espaçamento (3x2; 3x3; 4x3; 4x4; e 5x5 m). De cada árvore foram extraídos cinco discos da base; de um disco foram retiradas cunhas opostas para a determinação das propriedades da madeira e os demais foram transformados em carvão vegetal em duas marchas de carbonização, sendo M1: taxa de aquecimento de 1,67ºC e M2: 0,83ºC min-1, para posterior determinação de suas propriedades. O espaçamento de plantio não influenciou as propriedades da madeira de angico vermelho, exceto os extrativos totais, mas teve efeito significativo nas propriedades do carvão vegetal; sendo os melhores parâmetros observados no espaçamento de plantio 3x3 m. As marchas de carbonização influenciaram as propriedades do carvão vegetal, sendo mais satisfatória a utilização da M2, por produzir carvões com maior teor de carbono fixo, menor teor de materiais voláteis, maiores poder calorífico superior, densidade relativa, densidade energética e rendimento gravimétrico. Contudo, a madeira e o carvão tiveram elevado teor de cinzas, sugerindo-se futuras análises para verificar se há diminuição dessa variável ao longo dos anos. Houve interação do espaçamento de plantio com as marchas de carbonização para as variáveis teor de cinzas, densidade relativa, densidade energética, rendimentos em líquido pirolenhoso e gases não condensáveis. Além disso, o teor de lignina da madeira se correlacionou positivamente com a densidade relativa do carvão vegetal e o teor de extrativos com o teor de cinzas do carvão. Palavras-Chave: espécie nativa, espaçamento de plantio, carbonização.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7672
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11756_Dissertação CAMILLA 2018-Final.pdf1.12 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.