Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7695
Título: CHUVA DE SEMENTES E SISTEMAS SEXUAIS DE ESPÉCIES LENHOSAS EM UM TRECHO DE FLORESTA OMBRÓFILA DENSA, ESPÍRITO SANTO
Autor(es): PERINI, M.
Orientador: DIAS, H. M.
Palavras-chave: 1
Floresta Atlântica
2
Plantas
3
Dispersão
4
Poliniza
Data do documento: 1-Jul-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PERINI, M., CHUVA DE SEMENTES E SISTEMAS SEXUAIS DE ESPÉCIES LENHOSAS EM UM TRECHO DE FLORESTA OMBRÓFILA DENSA, ESPÍRITO SANTO
Resumo: A biologia reprodutiva vegetal tem sido estudada com o intuito de se compreender aspectos de especiação e estrutura de comunidades vegetais, e consequentemente obter informações que subsidiem ações de conservação da biodiversidade. Assim, este estudo teve como objetivo caracterizar a chuva de sementes e a frequência dos sistemas sexuais de espécies lenhosas em um trecho de Floresta Tropical Montana no Parque Nacional do Caparaó, Espírito Santo. A área de estudo consiste em sete parcelas distribuídas ao longo do vale Santa Marta, no município de Ibitirama, ES. A coleta da chuva de sementes ocorreu no período de novembro/2012 a outubro/2013. Para a avaliação da composição da chuva de sementes foram estimadas a densidade absoluta e relativa, e a riqueza das espécies, além de serem classificadas quanto às suas características ecológicas como sistema sexual, síndromes de polinização e dispersão e tipo de fruto. Para mensurar a correlação entre tipos de sistemas sexuais com características ecológicas realizou-se uma análise de correspondência (AC). A correlação entre as variáveis como temperatura, precipitação, face de exposição e aporte médio de serapilheira com os parâmetro de densidade e riqueza da chuva de sementes foi calculado por meio do teste de Spearman. As comparações entre a riqueza e densidade de sementes por parcela e entre os meses foram testados pelo teste de Kruskal-Wallis e de Friedman, respectivamente. Assim foi possível constatar que a chuva de sementes tende a seguir um padrão sazonal com picos de deposição em períodos de maior precipitação e redução da riqueza de espécies na medida em que a altitude se eleva. Quantos aos sistemas sexuais das espécies registradas na chuva de sementes, estes seguiram o padrão sugerido para florestas tropicais, com 73% de espécies hermafroditas, 14% dióicas e 12% monóicas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7695
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9989_Dissertação Monique.pdf3.03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.