Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7712
Título: AVALIAÇÃO DA APTIDÃO DA MADEIRA DE SEIS CLONES DE HÍBRIDOS DE EUCALYPTUS PARA O PROCESSAMENTO MECÂNICO
Autor(es): SILVA, L. F.
Orientador: PAES, J. B.
Coorientador: BATISTA, D. C.
Palavras-chave: Eucalipto
Madeira serrada-Secagem
Madeira Química
Data do documento: 1-Mar-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, L. F., AVALIAÇÃO DA APTIDÃO DA MADEIRA DE SEIS CLONES DE HÍBRIDOS DE EUCALYPTUS PARA O PROCESSAMENTO MECÂNICO
Resumo: Este trabalho teve como objetivo avaliar as características da madeira de seis clones de hídricos de Eucalyptus, com 14 anos, a fim de selecionar aqueles que apresentem melhores características dendrométrica, propriedades químicas, físicas e mecânicas e resistência biológica adequadas para a produção de madeira serrada. Foram avaliadas as características de 18 árvores (três de cada clone), como; conicidade, relação cerne:alburno, excentricidade da medula e desvio de grã. Determinadas as evoluções das rachaduras de base e topo de toras logo após o corte das árvores. Analisados os empenamentos e rachaduras em extremidade de tábuas (antes e após o período de secagem ao ar), as propriedades físicas (densidade básica e estabilidade dimensional da madeira), mecânicas (compressão paralela às fibras, flexão estática e dureza Janka), características químicas (holocelulose, lignina, extrativos totais e cinzas) e a resistência biológica da madeira [ensaios de apodrecimento acelerado (podridão parda e branca) e ensaios com térmitas xilófagas (subterrâneas e de madeira seca)]. O efeito dos tratamentos foi verificado pela aplicação da análise de variância e teste F (p < 0,05) e, quando foi significativo, aplicou-se o teste de Scott Knott (p < 0,05), para discriminação das médias. Para a densidade da árvore, o clone C, seguido pelo E, produziu madeira mais densa, e os A, B e F de menores densidades. Não houve diferença entre as rachaduras desenvolvidas na base das toras dos clones avaliados. No topo dos clones C, D e E ocorreram os maiores índice de rachadura, e os menores no A, B e F. Ao avaliar a madeira em estado úmido e seco, o clone A rachou menos. Para as condições avaliadas 100 dias foram suficientes para que a madeira serrada entrasse em equilíbrio com o ambiente. De maneira geral, para a densidade da madeira, o clone C apresentou valores superiores aos demais e o A produziu madeira de menor densidade e maior estabilidade dimensional. Quanto aos ensaios mecânicos, os clones C e F foram os mais resistentes. A posição na madeira que teve maior teor de extrativos e lignina foi o cerne externo. A maior quantidade de cinzas e holocelulose foi observada no cerne interno. O clone C de maneira geral foi o mais resistente a organismos xilófagos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7712
Aparece nas coleções:PPGCF - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11852_Tese LUCIANA FERREIRA 201820180612-91010.pdf1.47 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.