Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7719
Título: FLEBOTOMÍNEOS (diptera: Psychodidae) no Peridomicílio De moradores da Zona Rural do Município de Iúna, Espírito Santo
Autor(es): FARIA, H. G.
Orientador: ZANINI, M. S.
Palavras-chave: Leishmania braziliensis
Migonemyia migonei
Data do documento: 6-Jun-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FARIA, H. G., FLEBOTOMÍNEOS (diptera: Psychodidae) no Peridomicílio De moradores da Zona Rural do Município de Iúna, Espírito Santo
Resumo: Considerando a importância dos flebotomíneos nos ciclos de transmissão das leishmanioses, este estudo teve como objetivo avaliar a fauna local das espécies vetores da doença em área de transmissão endêmica para a Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA). Foram realizadas coletas de amostras nas regiões rurais do município de Iúna, estado do Espírito Santo, Brasil. As capturas dos dípteros abrangeram cinco localidades rurais aonde casos de LTA já haviam sido previamente relatados. Quatorze pontos de coletas foram estabelecidos no peridomicílio de moradores dessas localidades. Os critérios de escolha para a instalação das armadilhas foram propriedades com histórico anterior de casos clínicos humanos de leishmanioses tegumentares e atualmente com a presença de cães sem sinais clínicos da doença, podendo ser soropositivos ou não para antígenos de Leishmania (Viannia) braziliensis pela técnica de ELISA (EnzymeLinked Immunosorbent Assay) indireta convencional, assim como terem sido vacinados contra Leishmaniose Visceral Canina com vacinas comerciais. As capturas foram realizadas em dezembro de 2015 respeitando os hábitos comportamentais dos insetos. As coletas realizaram-se com o auxílio de armadilhas luminosas do tipo CDC (Centers for Diseases Controls) instaladas às 18h00min e recolhidas às 06h00min totalizando 336 horas de funcionamento. Entre quatorze pontos de coletas, dez apresentaram a presença de flebotomíneos sendo um total de 1148 espécimes. Uma parcela de 60 fêmeas, sendo 20 de cada um dos três pontos com maiores frequências de flebotomíneos, foram separadas e submetidas à extração de DNA e posteriormente a reação em cadeia da polimerase (PCR), com o intuito de se verificar a presença de ácidos nucleicos condizentes com o gênero Leishmania spp. nos seus tubos digestivos, porém, todas as análises apresentaram resultado negativos. Os 1088 flebotomíneos restantes foram processados e posteriormente identificados. A espécie Migonemyia migonei a foi a que se apresentou mais abundante sendo responsável por 71,7% dos espécimes, seguida por Nyssomyia intermedia 21,5%, somando as demais espécies capturadas 6,8%. Considerando a capacidade vetorial de Mg. migonei e Ny. intermedia , bem como seus hábitos antropofílicos já descritos na literatura, podemos sugerir que essas espécies possam estar atuando como transmissoras de LTA na região
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7719
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11084_HUMBERTO GRIPP DE FARIA.pdf2.15 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.