Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7725
Título: Avaliação Soro-epidemiológica e Molecular de Cães Assintomática para Leishmaniose Tegumentar Americana em Área Endêmica
Autor(es): PASSOS, G. P.
Orientador: ZANINI, M. S.
Palavras-chave: Extração de DNA
ELISA
Western Blot
PCR
Leishmania brazil
Data do documento: 26-Fev-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PASSOS, G. P., Avaliação Soro-epidemiológica e Molecular de Cães Assintomática para Leishmaniose Tegumentar Americana em Área Endêmica
Resumo: Com o objetivo de realizar o diagnóstico de leishmaniose tegumentar americana (LTA) em cães, foram utilizados métodos de cultura e isolamento, testes sorológicos de ELISA e Western Blot (WB) e pesquisa de DNA do parasito para dois grupos de animais, um grupo composto de animais sem lesões clínicas sugestivas de LTA, mas residentes em torno de casos clínicos humanos confirmados para LTA, e outro grupo de animais com lesões sugestivas de LTA que serviram como controle dos protocolos realizados. O estudo foi realizado no município de Iúna, ES, Brasil, região endêmica para enfermidade. No primeiro grupo, foram analisadas amostras de soro de 109 animais sem histórico ou lesões indicativas de LTA, estas foram submetidas às técnicas de ELISA e WB que resultaram em 20 animais sorologicamente positivos para as duas técnicas. O teste ELISA apresentou sensibilidade de 100,00% (IC95% - 0,83 a 1,00) e especificidade de 77,53% (IC95% - 0,67 a 0,86), em relação à técnica de WB. O teste WB apresentou maior acurácia e mostrou-se mais adequado para diagnóstico dos animais assintomáticos, enquanto a técnica de ELISA para a triagem. Para a pesquisa do DNA do parasito nos 20 animais assintomáticos e positivos pela técnica de WB utilizou-se sangue total e biópsia de tecido íntegro do pavilhão auricular pela técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR). Os resultados para PCR da biópsia de tecido íntegro e PCR de tecido sanguíneo mostraram sensibilidade de 30,0% (IC95% - 0,12 a 0,54) e 20,0% (IC95% - 0,06 a 0,44), respectivamente. A especificidade, 99,0% (IC95% - 0,93 a 0,99) e 100% (IC95% - 0,96 a 1,00), para a PCR da biópsia de tecido íntegro e PCR de tecido sanguíneo quando comparadas ao WB. Os resultados mostram que tecido íntegro do pavilhão auricular e sangue de animais assintomáticos submetidos à técnica de PCR, apresentaram baixa sensibilidade e alta especificidade, assim, a PCR da biópsia de tecido íntegro é melhor indicador para animais assintomáticos que a PCR de tecido sanguíneo. Para o segundo grupo, foram identificados três animais com lesões sugestivas para LTA e sorologicamente positivo. A partir de uma amostra de biópsia de lesão sugestiva de LTA presente no pavilhão auricular, parte desta foi destinada a cultura e isolamento e outra parte para comparação de três protocolos de extração do DNA de tecido animal para diagnóstico da LTA canina. Os protocolos utilizados tiveram como base o Fenol-Clorofórmio, Acetato de Potássio e associação entre as duas metodologias. Em comparação com os padrões moleculares de concentração de DNA concluiu-se que o protocolo com Acetato de Potássio foi o mais indicado para o tipo de tecido empregado. Por fim, de posse dos dados apresentados para os animais sorologicamente positivos e assintomáticos estudados, foi possível concluir que estes não representaram potenciais reservatórios do parasito, o que evidencia ainda que para avaliação deste perfil da enfermidade seja indicada a associação de métodos de diagnóstico.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7725
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_6434_DISSERTAÇÃO GABRIELA PORFIRIO-PASSOS.pdf852.04 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.