Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7768
Título: PARÂMETROS Clínicos e Parasitológicos de Ovinos Mantidos em Confinamento Infectados Experimentalmente Com Larvas de Haemonchus Sp.
Autor(es): HUPP, B. N. L.
Orientador: MARTINS, I. V. F.
Palavras-chave: Verminose
Hematócrito
OPG
Data do documento: 3-Abr-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: HUPP, B. N. L., PARÂMETROS Clínicos e Parasitológicos de Ovinos Mantidos em Confinamento Infectados Experimentalmente Com Larvas de Haemonchus Sp.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi estabelecer parâmetros parasitológicos que determinem a carga parasitária para intervenção anti-helmíntica, por meio de acompanhamento do comportamento parasitológico de grupos de ovinos mestiços Santa Inês infectados experimentalmente e não infectados (controle) com larvas de Haemonchus sp., mantidos sob sistema de confinamento total. O experimento foi conduzido no período de junho a agosto de 2013. Foram utilizados 14 ovinos machos inteiros, com peso corporal semelhante, livres de nematoides, que foram divididos em dois grupos com 7 animais cada. Posteriormente realizou-se a infecção experimental de um dos grupos com 10.000 larvas de Haemonchus sp., tendo com base os valores e recomendações estabelecidos pela World Association for the Advancement of Veterinary Parasitology (W.A.A.V.P.). As avaliações dos parâmetros (Ovos por grama de fezes, Famacha©, peso, proteínas plasmáticas totais e hematócrito) foram semanais, sendo a primeira iniciada 21 dias após a infecção, sendo, portanto os momentos de análise os dias zero (dia infecção) e 21, 28, 35, 42, 49, 56, 63 e 70. Ao término do período experimental, os animais foram abatidos e o trato gastrointestinal coletado para contagem e identificação dos parasitos adultos. Para o parâmetro OPG houve diferença significativa entre os grupos infectado e controle a partir do dia zero para todos os demais momentos analisados. No grupo infectado houve diferença significativa do dia zero para os demais, do dia 21 para os dias 28, 35 e 42 e do dia 35 e 42 para os dias 63 e 70. O hematócrito apresentou diferença significativa entre os grupos nos dias 21, 28, 35, 42, 49 e 63, e entre o dia zero e os dias 28, 35, 42, 56, 63 e 70 no grupo infectado. Para a variável Famacha ambos os grupos se mantiveram classificados como graus 1 e 2, ou seja sem sinais clínicos de anemia. As proteínas plasmáticas não apresentaram alterações entre os momentos ou entre os grupos durante todo o período experimental. Para variável peso também não foram constatadas diferenças entre os grupos em nenhum momento analisado. Os animais do grupo controle não apresentaram diferenças estatisticamente significativas entre os momentos durante todo o período experimental para todas as variáveis analisadas. A correlação entre OPG e número de parasitos adultos foi considerada forte (r = 0,93). A infecção experimental com 10.000 larvas de Haemonchus sp. não foi suficiente para alterar o estado de saúde geral dos animais nas condições estudadas e, portanto animais com OPG até 2500 não necessitam de intervenção anti-helmíntica quando em condições semelhantes as do presente trabalho.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7768
Aparece nas coleções:PPGCV - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7714_dissertação bárbara lemos hupp.pdf766.02 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.