Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7847
Título: Prospecção da Toxicidade de Fenóis e Seus Respectivos Derivados Ácidos Fenoxiacéticos em Bioensaios Vegetais
Autor(es): ALVES, T. A.
Orientador: SOARES, T. C. B.
Coorientador: PINHEIRO, P. F.
Palavras-chave: citotoxicidade
fitotoxicidade
genotoxicidade
L
sativa
S
Data do documento: 20-Fev-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: ALVES, T. A., Prospecção da Toxicidade de Fenóis e Seus Respectivos Derivados Ácidos Fenoxiacéticos em Bioensaios Vegetais
Resumo: O uso dos agrotóxicos traz muitos benefícios econômicos para a agricultura, no entanto, sua nocividade ao meio ambiente e à saúde humana são debatidos. Os herbicidas têm se destacado entre os agroquímicos mais aplicados no campo, tendo como objetivo o controle de plantas daninhas. Porém, existem vários relatos de plantas resistentes à determinados herbicidas, se fazendo necessário, uma constante busca por novos herbicidas e por métodos de controle alternativo. Nesse sentido, os metabólitos secundários com efeito alelopático, têm grande potencial para serem usados como bioherbicidas, bem como, podem servir de estruturas modelo na obtenção de semissintéticos, com a introdução de grupos químicos que estão presentes nas estruturas de herbicidas comerciais já estabelecidos. Dentre os diferentes compostos alelopáticos de baixa massa molecular, que são de fácil obtenção, por serem comercializados na forma pura, estão o timol, carvacrol, guaiacol e eugenol. Para análise do potencial de moléculas para uso como herbicidas são realizados diversos testes de toxicidade, tais como: análises fitotóxicas, que avaliam o desenvolvimento inicial de plântulas; citotóxicas, que avaliavam o ciclo celular e os cromossomos; e genotóxicas que analisam o DNA dos indivíduos expostos ao componente teste. Assim, esse trabalho objetivou avaliar o efeito, em baixa concentração (0; 0,375; 0,750; 1,50 e 3 mmol.L-1), das moléculas naturais eugenol, guaiacol, timol e carvacrol e dos seus respectivos ácidos fenoxiacéticos semissintéticos através de bioensaios vegetais. Para tanto realizou-se testes de germinação e desenvolvimento inicial de plântulas de Lactuca sativa e Sorghum bicolor, avaliação de alterações no ciclo mitótico de células meristemáticas de raizes de L. sativa, além dos efeitos do carvacrol e do ácido carvacroxiacético (3mmol.L-1) no DNA de L. sativa e S. bicolor. Observou-se redução nos parâmetros de fitotoxicidade e no índice mitótico nas maiores concentrações testadas, além de aumento nas alterações nucleares e cromossômicas, quando comparados ao controle negativo. Os resultados moleculares demonstraram que o carvacrol e o ácido carvacroxiacético são tão tóxicos quanto o herbicida 2,4-D. Indicando dessa forma, a fito, cito e genotoxicidade das moléculas para sementes de S. bicolor e L. sativa.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7847
Aparece nas coleções:PPGGM - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10672_Dissertação Final Thammyres de Assis Alves20170605-150928.pdf2.04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.