Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7893
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorABREU, G. R.
dc.date.accessioned2018-08-01T22:58:26Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T22:58:26Z-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, S. G., " EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO AERÓBICO SOBRE A REATIVIDADE VASCULAR EM ANÉIS DE AORTA DE RATAS OVARIECTOMIZADAS E INFARTADAS"por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/7893-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.title" EFEITOS DO TREINAMENTO FÍSICO AERÓBICO SOBRE A REATIVIDADE VASCULAR EM ANÉIS DE AORTA DE RATAS OVARIECTOMIZADAS E INFARTADAS"por
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberGOUVEA, S. A.
dc.contributor.memberHelder Mauad
dcterms.abstractA principal característica da mulher no período pós menopausa é a deficiência dos hormônios ovarianos. Sabe-se que nesse período a mulher se encontra mais susceptível a incidência de doenças cardiovasculares e tem sido observado uma incidência elevada de casos de infarto agudo do miocárdio (IAM). Visando reduzir as taxas de hospitalização e mortalidade das mulheres, o treinamento aeróbico pode ser uma estratégia terapêutica utilizada para reduzir os efeitos deletérios da doença e melhorar a qualidade de vida. Diante disso o objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos do treinamento físico sobre a reatividade vascular em anéis de aorta de ratas ovariectomizadas e infartadas, sobre a perspectiva do sistema antioxidante. Os animais foram submetidos a ovariectomia (OVX) e 7 dias depois foi realizado a indução do IAM ou cirurgia fictícia e em seguida os animais foram divididos em grupos sedentários ou treinados (EF), que iniciaram o treino 15 dias após o IAM e realizaram os treinos por 8 semanas, resultando nos grupos: Controle, OVX+IM, OVX+IMsed, OVX+SHAM e OVX+SHAMef. Ao final do treinamento físico, os animais foram sacrificados e suas aortas foram utilizadas para análise de reatividade vascular, investigação da expressão protéica das enzimas antioxidantes e gp91phox , além das análises da presença do ânion superóxido pela técnica de DHE .Foi demonstrado que o infarto do miocárdio promoveu aumento da contratilidade do vaso e prejuízo no relaxamento. Já o grupo infartado treinado obteve um índice de relaxamento maior que os infartados sedentários, além de um índice menor de contratilidade. Além disso a expressão protéica da gp91phox e o índice de ERO avaliadas pela técnica de DHE, foi aumentada no grupo OVX+IMsed comparado ao OVX+SHAMsed. O resultado de ambos os experimentos foram reduzidos no grupo OVX+IMef comparado ao OVX+IMsed.O presente estudo destaca a importância do treinamento físico como uso terapêutico e com fortes evidências de ser um fator contribuinte no auxílio em proporcionar melhor qualidade de vida pós infarto e menopausa.por
dcterms.creatorOLIVEIRA, S. G.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-02-17
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicaspor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Ciências Fisiológicaspor
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10709_Dissertação Suelen Guedes de Oliveira.pdf1.69 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.