Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7896
Título: Efeitos de doses controladas do suplemento OxyElite Pro sobre a perfomance física em ratos Wistar
Autor(es): Zovico, Paulo Vinicios Camuzi
Orientador: Baraúna, Valério Garrone
Palavras-chave: Suplementos alimentares
Desempenho
Estresse oxidativo
Biogênese mitocondrial
Dietary supplements
Performance
Liver
Oxidative stress
Mitochondrial
Data do documento: 26-Abr-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: OxyElite Pro (OEP) é um suplemento alimentar vendido com objetivo de aumentar o metabolismo e contém como principal ingrediente a 1,3-dimetilamilamina (DMAA). Efeitos adversos após o consumo de OEP têm sido relatados. Contudo, estes efeitos estão relacionados com doses desconhecidas ou sobredosagem do produto. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos agudos e crônicos de OEP em doses controladas em ratos Wistar sobre: desempenho físico, respostas hemodinâmicas, atividade locomotora espontanea, parâmetros comportamentais, parâmetros metabólicos, marcadores de lesão hepática, marcadores de estresse oxidativo e biogênese mitocondrial no músculo esquelético. Para isso utilizamos os seguintes grupos de ratos: controle, 4,3 mg/kg de OEP (dose mínima recomendada), 12,9 mg/kg de OEP (dose máxima recomendada) e 25,8 mg/kg de OEP (não recomendada). Todos os grupos foram submetidos a suplementação com OEP durante 4 semanas e os protocolos experimentais foram realizados 30 minutos após a primeira administração de OEP (resposta aguda) e 30 minutos após a última administração de OEP no final da quarta semana (resposta crônica). Observou-se que a distância e o tempo de corrida aumentaram após administração aguda com 12,9 mg/kg de OEP (2,6 vezes) e 25,8 mg/kg de OEP (2,8 vezes). Uma vez que não foi observado qualquer efeito no teste de tolerância ao exercício à dose mais baixa de OEP (4,3 mg/kg de OEP), este grupo foi removido de outras análises. A suplementação aguda com 12,9 mg/kg de OEP foi capaz de aumentar a frequência cardíaca (FC) sem afetar a pressão arterial (PA) de modo significativo, entretanto, doses não recomendadas (25,8 mg/kg de OEP) apresentou um aumento na PA e FC. Por outro lado, a distância e o tempo de corrida diminuíram após a suplementação diária durante 4 semanas de ambos os grupos (64% no grupo 12,9 mg/kg de OEP e 72% no grupo 25,8 mg/kg de OEP). A suplementação crônica com 12,9 e 25,8 mg/kg de OEP diminuiu os níveis de TBARS no músculo sóleo (36 e 31%) e no fígado (43 e 25%). A AOPP também diminuiu com ambas as doses no fígado (39 e 45%). A administração crónica com a dose mais elevada, 25,8 mg/kg de OEP, foi capaz de reduzir a expressão gênica da PGC-1α no músculo sóleo (25%). Nenhum efeito foi encontrado nas outras variáveis analisadas, tais como: atividade locomotora espontânea, parâmetros comportamentais, peso corporal, ingestão de ração e água, toxicidade hepática e na quantidade de DNA mitocondrial. Concluímos portanto que, doses máximas e não recomendadas de OEP ingeridas de forma aguda apresenta efeito estimulante sobre a capacidade de exercício. Doses não recomendadas com OEP aumenta de forma significativa as respostas hemodinâmicas (PA e FC). No entanto, o seu consumo diário durante 4 semanas causa efeitos antioxidantes no músculo sóleo e no fígado, o que pode ter levado a supressão da expressão do RNAm da PGC-1α no músculo sóleo e ter contribuído parcialmente para um desempenho físico prejudicado no teste de tolerância ao exercício.
OxyElite Pro (OEP) is a dietary supplement to increase metabolism which contains as key stimulant the ingredient 1,3-dimethylamylamine (DMAA). Serious adverse effects have been reported after OEP consumption. However, these effects are related to unknown doses or overdose of supplement. Thus, the aim of this study was to evaluate acute and chronic OEP affects, at controlled doses in Wistar rats, on physical performance, hemodynamic responses, spontaneous locomotor activity, behavioral parameters and metabolic parameters, liver injury markers and oxidative stress markers, and mitochondrial biogenesis in skeletal muscle. For this we use the following groups of rats: control, 4,3 mg OEP/kg (minimum dose), 12,9 mg OEP/kg (maximum dose) and 25,8 mg OEP/kg (not recommended). All groups were submitted to supplementation with OEP for 4 weeks and the experimental protocols were performed 30 min after the first OEP administration (acute response) and 30 min after the last OEP administration at the end of the forth week (chronic response). Running distance and running time increased after acute administration of 12,9 mg OEP/kg (2.6-fold) and 25,8 mg OEP/kg (2,8-fold). Since no effect on the exercise tolerance test was observed at the lower OEP dose (4,3 mg OEP/kg), this group was removed from further analyzes. Acute supplementation with 12,9 mg/kg OEP was able to increase HR without significantly affecting blood pressure (BP), however, non-recommended doses (25,8 mg/kg OEP) showed an increase in BP and HR. On other hand, running distance and running time decreased after daily supplementation for 4 weeks also in both groups (64% in 12,9 mg OEP/kg and 72% in 25,8 mg OEP/kg). Chronic supplementation at both 12,9 and 25,8 mg OEP/kg decreased TBARS levels in soleus muscle (36 and 31%) and liver (43 and 25%). AOPP was also decreased by both doses in the liver (39 and 45%). Chronic administration of the highest dose, 25,8 mg OEP/kg, was able to reduce mRNA expression of PGC-1α in soleus muscle (25%). No effect was found in other variables such as spontaneous physical activity, behavioral parameters, body weight, food and water intake, hepatic toxicity, cardiac oxidative stress and mitochondrial DNA amount. Concluded that maximum and not recommended doses of OEP ingested acutely presented stimulating effect on the ability to exercise. Doses not recommended with OEP significantly increase hemodynamic responses. However, its daily consumption for 4 weeks showed antioxidant effects in soleus muscle and liver which may have decreased the PGC-1α mRNA expression on soleus muscle and contributed to the impaired performance in the exercise tolerance test.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7896
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10962_Dissertação Paulo Vinicios Camuzi Zovico20170502-75453.pdf4 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.