Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7899
Título: EFEITO DA DEFICIÊNCIA DA TESTOSTERONA NAS SUBPOPULAÇÕES MITOCONDRIAIS EM CARDIOMIÓCITOS DE RATOS
Autor(es): LIMA, P. R. V.
Orientador: RIBEIRO JUNIOR, R. F.
Coorientador: VASSALLO, D. V.
Data do documento: 1-Jun-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LIMA, P. R. V., EFEITO DA DEFICIÊNCIA DA TESTOSTERONA NAS SUBPOPULAÇÕES MITOCONDRIAIS EM CARDIOMIÓCITOS DE RATOS
Resumo: A deficiência de testosterona (hipogonadismo) é um dos fatores de risco para doença cardiovascular. Quando ocorre, provoca redução na contratilidade miocárdica. Considerando que existe estreita correlação entre o metabolismo oxidativo e a contratilidade miocárdica, o presente estudo visou obter novas informações sobre os efeitos da deficiência de testosterona em duas subpopulações mitocondriais cardíacas espacialmente distintas: mitocôndria subsarcolemal (SSM) e interfibrilar (IFM). Utilizou-se modelo animal de ratos machos Wistar (n=30), de linhagem albina da espécie Rattus norvegicus, para avaliar a função e estrutura dessas subpopulações mitocondriais cardíacas com e sem deficiência de testosterona. A amostra foi dividida de forma randomizada em três grupos: 1) Grupo SHAM (controle); 2) Grupo OQT (orquiectomizados) e 3) Grupo OQT + T (orquiectomizados com reposição de testosterona). Os resultados mostraram quatro achados principais, como segue: a) o rendimento mitocondrial total (Yield), na subpopulação subsarcolemal (SSM) do Grupo orquiectomizado (OQT), mostrou maior quantidade de proteína mitocondrial em relação aos Grupos SHAM e OQT+T, porém não houve diferença na fração interfibrilar (IFM); b) o potencial de membrana, o tamanho e a complexidade interna da subpopulação interfibrilar (IFM) do Grupo OQT foram maiores em relação aos Grupos SHAM e OQT+T, porém não houve diferença na fração subsarcolemal (SSM); c) a taxa de fosforilação oxidativa com os substratos glutamato + malato, piruvato + malato, palmitoil + carnitina e rotenona + succinato na subpopulação interfibrilar (IFM) do Grupo OQT foi menor em comparação com os Grupos SHAM e OQT+T, sendo que a reposição de testosterona (OQT+T) foi capaz de restaurar essas alterações; houve diminuição na fosforilação oxidativa no Grupo SSM, com palmitoil + carnitina como substrato; d) o swelling mitocondrial não mostrou diferença na capacidade de retenção de cálcio em todos os Grupos nas duas frações (IFM e SSM); além disso, a deficiência de testosterona afetou a captação de cálcio mitocondrial (cálcio green 5N), demonstrando que a fração IFM no Grupo OQT apresentou maior capacidade de retenção de cálcio. Em suma, na subpopulação mitocondrial interfibrilar cardíaca ocorreram alterações na fosforilação oxidativa, morfologia e capacidade de retenção de cálcio nos ratos com deficiência de testosterona. A reposição de testosterona foi capaz de restaurar todas as alterações induzidas pela orquiectomia. Portanto, o presente estudo mostrou diferenças específicas nas subpopulações mitocondriais subsarcolemais e interfibrilares cardíacas como resultado da deficiência de testosterona.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7899
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11080_Dissertação Patricia Ribeiro do Val Lima20170714-95745.pdf2.9 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.