Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7922
Título: Atividade Funcional da Na+k+-atpase Sensível à Ouabaína em Aorta de Ratas Com e Sem Sinais de Insuficiência Cardíaca Após Infarto do Miocário
Autor(es): DIAS, F. M. V.
Orientador: Luciana Venturini Rossoni
STEFANON, I.
Data do documento: 22-Jun-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: DIAS, F. M. V., Atividade Funcional da Na+k+-atpase Sensível à Ouabaína em Aorta de Ratas Com e Sem Sinais de Insuficiência Cardíaca Após Infarto do Miocário
Resumo: A identificação de dois grupos experimentais distintos quando se induz ao infarto (INF) em ratos (Inf - sem sinais de ICC e Icc - com sinais de ICC), apresentando a mesma área de cicatriz (AI), poderia explicar, pelo menos em parte, alguns dos resultados contraditórios da função cardiovascular descritos na literatura. Sabe-se que a atividade da Na+K+-ATPase é importante para a homeostase vascular e o controle do tônus. Ela é influenciada por fatores vasoativos derivados do endotélio, glicosídios cardíacos, hormônios, concentração iônica e até o shear stress, que freqüentemente estão alterados após o INF. Portanto, o objetivo deste trabalho foi estudar a atividade funcional da Na+K+-ATPase sensível à ouabaína (OUA) em anéis de aorta de ratas após o INF, com mesma AI, com e sem sinais de ICC. Ratas Wistar (220 ± 8 g) foram distribuídas em Sham (n= 13), INF sem sinais de ICC (Inf n= 11) e INF com sinais ICC (Icc n= 7). O INF foi induzido cirurgicamente através da oclusão da artéria coronariana descendente anterior esquerda. Após 30 dias, as ratas foram anestesiadas para retirada de anéis de aorta que foram perfundidos com solução de Krebs e gaseificados com mistura carbogênica em banho para estudo da reatividade em anéis com endotélio íntegro (E+), sem endotélio (E-) e com L-NAME . A avaliação da atividade funcional da Na+K+-ATPase sensível à OUA foi realizada pela técnica de relaxamento ao potássio. Não houve diferença entre a AI (Inf: 30,2 ± 1,6; Icc: 35,6 ± 2,8), o peso corporal (Sham: 236 ± 4 g; Inf: 236 ± 5 g; Icc: 235 ± 5 g) e a razão VE/PC (Sham: 2,12 ± 0,05; Inf: 2,24 ± 0,06; Icc: 2,21 ± 0,07). Verificou-se, porém, diferença entre as razões VD/PC (Sham: 0,6 ± 0,02; Inf: 0,6 ± 0,03; Icc: 1,4 ± 0,1* P<0,01) e PP/PC (Sham: 5,7 ± 0,3; Inf: 6,1 ± 0,3; Icc: 13,6 ± 1,0* P<0,01). No grupo Inf o relaxamento ao KCl apresentou-se diminuído, apesar da modulação basal nitrérgica do endotélio estar preservada. Por outro lado, a capacidade da OUA de inibir a Na+K+-ATPase mostrou-se aumentada nestes animais não apresentando modulação endotelial como visto nos grupos Sham e Icc. Em conclusão, a liberação de NO estimulada pela OUA esta prejudicada no grupo Inf, mas preservada no grupo Icc, Portanto, estes resultados demonstram, pela primeira vez na literatura, a participação da Na+K+-ATPase nas mudanças de reatividade vascular após o INF, propondo que há diferenças nos mecanismos envolvidos na reatividade vascular após o INF, em animais com mesma AI, com e sem sinais de ICC. Palavras chaves: atividade da Na+K+-ATPase, homeostase vascular, fatores vasoativos
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7922
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3147_Dissertação Fernanda Moura Vargas II1.pdf2.09 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.