Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7946
Título: O Antagonista Seletivo Dopaminérgico D² Sulpirida, no Córtex Pré-frontal Medial Reduz Os Prejuízos do Etanol Sobre a Memória Operacional de Ratos
Autor(es): BENEVIDES, M. C. A.
Orientador: NAKAMURA-PALACIOS, E. M.
Data do documento: 31-Ago-2007
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BENEVIDES, M. C. A., O Antagonista Seletivo Dopaminérgico D² Sulpirida, no Córtex Pré-frontal Medial Reduz Os Prejuízos do Etanol Sobre a Memória Operacional de Ratos
Resumo: córtex pré-frontal (CPF) tem sido considerado por muitos autores o sítio anátomo-funcional para o processamento da memória operacional. Sua porção medial (CPFm) pertence ao circuito de gratificação cerebral, essencialmente mediado pelo sistema dopaminérgico mesocorticolímbico. Este estudo, mediante o emprego do antagonista seletivo D2, sulpirida, examinou o envolvimento dos receptores D2 do CPFm no prejuízo do etanol (ETOH) sobre a memória operacional de longa duração em tarefas envolvendo retardos de 1 h no labirinto radial de 8-braços. Ratos Wistar machos (n=26; 210-270g; &#8773; 3 meses de idade), previamente treinados no labirinto radial de 8 braços, com cânulas bilaterais implantadas no CPFm (B: + 2,5 mm A; +/- 1 mm L; 2,7mm V), receberam administrações intracorticais (IC) de sulpirida divididos em dois experimentos: no primeiro 11 animais receberam administrações IC de sulpirida (0,32, 1,0 e 3,2 &#956;g) ou ácido clorídrico 0,05M (HCl) 10 minutos antes da administração IC de salina (SAL) ou etanol (ETOH) 100 &#956;g. Cinco minutos após a última administração, os animais foram submetidos ao teste de desempenho no labirinto com retardos de 1 hora; no segundo experimento 22 animais receberam infusões IC de sulpirida 1 µg ou HCl 0,05 M diretamente no CPFm uma vez por dia durante quatro dias consecutivos, após a última administração, os animais receberam administrações IC agudas de SAL ou ETOH 100 &#956;g no terceiro dia e a seguir a intervalos de 4 dias (dias sete, onze e quinze), e submetidos ao teste de desempenho no labirinto com retardos de 1 hora, após 5 minutos da administração. O ETOH IC após HCl ou sulpirida (3,2 µg) IC produziu significativamente (p < 0,01) maior número de erros quando comparado à combinação controle HCl e SAL. Animais tratados com a dose de sulpirida (0,32 &#956;g ou 1,0 &#956;g) combinada ao ETOH apresentaram significativamente (p < 0,01 e p < 0,05, respectivamente) menor número de erros comparado ao tratamento combinado de HCl e ETOH (100 &#956;g) e sulpirida (3,2 µg) e ETOH (100 µg) no pós-retardo de 1 hora. Administrações prévias repetidas de Sulpirida no CPFm não modificam substancialmente os efeitos de prejuízo do ETOH sobre a memória operacional espacial dentro do período de 15 dias, porém reduziram significativamente estes efeitos após latência de 15 dias, sugerindo que a diminuição prévia da função dos receptores D2 pode modificar os efeitos do ETOH no CPFm. Tomados em conjunto, estes resultados sugerem a participação do sistema dopaminérgico, mais especificamente dos receptores do tipo D2, nos efeitos do etanol sobre a memória operacional espacial no CPFm.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7946
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_3935_Dissertação Marcelo Benevides.pdf1.13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.