Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7961
Título: ENALAPRIL PREVINE ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES PROMOVIDAS PELO TRATAMENTO CRÔNICO COM DOSES SUPRAFISIOLÓGICAS DE DECANOATO DE NANDROLONA EM RATOS SEDENTÁRIOS
Autor(es): LOIOLA, LEONARDO ZANOTELI
Orientador: BISSOLI, N. S.
Data do documento: 11-Nov-2011
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: LOIOLA, L. Z., ENALAPRIL PREVINE ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES PROMOVIDAS PELO TRATAMENTO CRÔNICO COM DOSES SUPRAFISIOLÓGICAS DE DECANOATO DE NANDROLONA EM RATOS SEDENTÁRIOS
Resumo: O decanoato de nandrolona (DN) induz anormalidades cardiovasculares, como atenuação do reflexo Bezold-Jarisch (RBJ), hipertrofia cardíaca e elevação da pressão arterial media (PAM), e uma relação entre androgênios e o sistema renina angiotensina (SRA) tem sido reportada. Objetivo: O propósito deste estudo foi avaliar a influência do SRA nas alterações do RBJ, hipertrofia cardíaca e prostática e elevação da PAM, promovidas pelo DN. Métodos: Ratos Wistar machos foram tratados com decanoato de nandrolona (DECA; 10mg.Kg.PC-1.semana-1) and nandrolona plus enalapril (DECAE; 10mg.Kg.PC-1.dia-1) ou veículo (animais controle; CON e CONE). Após 8 semanas de tratamento, o Reflexo Bezold-Jarisch foi avaliado pela resposta bradicardica provocada pela administração de serotonina (2-32 μg.Kg-1). A pressão arterial média foi acessada e a hipertrofia cardíaca foi determinada pela razão peso do coração por peso corporal. Resultados: Após oito semanas, ratos wistar tratados com DN apresentaram elevação da PAM, e o enalapril foi capaz de normalizá-la (CON = 98±1; CONE = 97±2; DECA = 109±2**; DECAE = 99±1 mmHg). Este mesmo comportamento foi verificado quanto a hipertrofia cardíaca (CON = 2,52±0,05; CONE = 2,47±0,08; DECA = 2,78±0,06**; DECAE = 2,49±0,07) e prostática (CON = 1,23±0,17; CONE = 1,23±0,09; DECA = 1,78±0,17**; DECAE = 1,36±0,14). Observamos ainda prejuízo no controle reflexo da freqüência cardíaca pelo RBJ nas doses de 8, 16 e 32μg.Kg-1 de 5-HT (S 8μg.Kg-1: CON=-42±7%, CONE=-40±3%, DECA=-32±2%*, DECAE=-41±2%; S 16μg.Kg-1: CON=-54±4%, CONE=-55±6%, DECA=-44±2%, DECAE=-53±2%; S 32μg.Kg-1: CON=-71±3%, CONE=-68±2%, DECA=-59±2%, DECAE=-68±2%, **p<0,01 *p<0,05 dos animais DECA em relação aos grupos CON, CONE e DECAE) e da PAD nas doses de 16 e 32μg.Kg-1 de 5-HT (S 16μg.Kg-1: CON=-67±4%, CONE=-68±3%, DECA=-51±2%, DECAE=-63±3%; S 32μg.Kg-1: CON=-81±2%, CONE=-75±3,2%, DECA=-62±3,1%, DECAE=-72±3,4%, **p<0,01 *p<0,05 dos animais DECA em relação aos grupos CON, CONE e DECAE) que também foi normalizado pelo co-tratamento com enalapril. 11 Conclusão: Nossos resultados indicam que o enalapril é capaz de normalizar a PAM e o prejuízo na sensibilidade do RBJ, assim como prevenir o desenvolvimento de hipertrofia cardíaca e prostática em ratos cujas alterações são decorrentes do tratamento com DN.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7961
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5221_DISSERTAÇÃO FINAL.pdf561.13 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.