Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7994
Título: Exposição à baixa concentração de chumbo reduz a força cardíaca em músculos papilares isolados de ratos
Autor(es): SILVA, M. A. S. C.
Orientador: Alessandra Simao Padilha
Data do documento: 29-Ago-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, M. A. S. C., Exposição à baixa concentração de chumbo reduz a força cardíaca em músculos papilares isolados de ratos
Resumo: A exposição crônica ao chumbo produz hipertensão, mas seus efeitos, em baixas concentrações, sobre a função cardíaca ainda são pouco conhecidos. Objetivamos investigar se baixa concentração plasmática de chumbo pode modificar a contratilidade cardíaca em músculos papilares isolados de ratos. Ratos Wistar foram divididos em dois grupos: controle (CT) e tratados com chumbo (Pb2+) (100 ppm na água de beber, por 15 dias). A pressão arterial foi medida no momento zero e no final dos 15 dias. Ao final do tratamento, os animais foram anestesiados e eutanaziados, e os parâmetros de contratilidade dos músculos papilares isolados foram registrados. Os ratos Pb2+ apresentaram concentração sanguínea de chumbo de 12,3 μg/dL. A pressão arterial dos animais Pb2+ elevou-se no final do tratamento. In vitro, o tratamento com chumbo não alterou a força e suas derivadas temporais, porém reduziu o tempo de ativação e de relaxamento. Além disso, a resposta inotrópica induzida por aumento de cálcio (Ca2+) extracelular foi reduzida no grupo Pb2+. Esses resultados sugerem alterações na cinética do cálcio nos cardiomiócitos dos ratos expostos ao chumbo. Contudo, a captação de Ca2+ pelo retículo sarcoplasmático e a expressão proteica da SERCA e do fosfolamabam não foram modificadas. Ao avaliar, in vitro, a participação dos canais de Ca2+ do tipo L usando o bloqueador verapamil foi observada redução na força em ambos os grupos experimentais. Esses achados sugerem que a redução da resposta inotrópica ao Ca2+ não parece estar relacionada a mudanças no fluxo transarcolemal desse íon, mas sugere uma possível alteração das proteínas contráteis. Nossos resultados evidenciam que mesmo em concentração abaixo dos valores preconizados como seguros, o chumbo causa efeitos deletérios na maquinaria contrátil do coração e deve ser considerado como um fator de risco para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/7994
Aparece nas coleções:PPGCF - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8155_Dissertação Marito.pdf1.21 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.